Piauí - Parnaíba

TRE-PI vai julgar recurso do promotor Antenor Filgueiras Lobo

O Procurador Regional Eleitoral, Israel Gonçalves Santos Silva, se manifestou preliminarmente pela extinção do processo sem resolução do mérito.

GIL SOBREIRA

- atualizado

O Tribunal Regional Eleitoral do Piauí vai julgar, no próximo dia 25 de abril, o recurso eleitoral interposto pelo Promotor da 4ª Zona Eleitoral – Parnaíba/PI, Antenor Filgueiras Lobo Neto, contra a sentença que reconheceu sua suspeição e o impediu de atuar em qualquer feito em que figure o prefeito de Parnaíba, Francisco de Assis Moraes Souza, o “Mão Santa”.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Mão SantaMão Santa

A exceção de suspeição foi interposta por Mão Santa em razão da estreita relação do promotor com Thiago Menezes do Amaral Gomes, servidor comissionado cedido pela administração do município para o Núcleo de Promotorias de Justiça de Parnaíba. Mão Santa alegou que o servidor possui forte ligação política com o ex-prefeito de Parnaíba, Florentino Alves Veras Neto, e que teria agido parcialmente ao acompanhar e auxiliar o Promotor Eleitoral em diligências à época da eleição.

O Procurador Regional Eleitoral, Israel Gonçalves Santos Silva, se manifestou preliminarmente pela extinção do processo sem resolução do mérito, por ausência de interesse processual, e no mérito para que seja reformada a sentença afastando o reconhecimento da suspeição.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Tribunal Regional EleitoralTribunal Regional Eleitoral

Para o procurador os argumentos utilizados por Mão Santa referem-se à conduta do servidor Thiago Menezes do Amaral Gomes e a sua relação de apoio político ao ex-prefeito Florentino, que não pode ser fato gerador de suspeição atribuída a outra pessoa. 

“Não houve evidências concretas de que o Promotor estaria de fato interessado no julgamento do processo (inexistente) em favor de qualquer das partes, ou possua íntima amizade ou inimizade com algum candidato”, afirma o procurador no parecer juntado aos autos em 10 de abril.

O relator da exceção de suspeição é o juiz Agrimar Rodrigues de Araújo.