Piauí - Teresina

UFPI emite nota sobre caso de assédio sexual dentro da instituição

A denúncia foi registrada por duas alunas da universidade no início do mês de maio na Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher.

RAFAEL GALVÃO

- atualizado

A Universidade Federal do Piauí (UFPI), emitiu nota na tarde desta quarta-feira (17) informando que a instituição vai abrir investigação para apurar denúncia de assédio sexual envolvendo alunas do curso de História. Duas alunas da universidade denunciaram no início do mês de maio à Delegacia de Proteção dos Direitos da Mulher, um estudante que é monitor do mesmo curso.

A delegada Vilma, que acompanha o caso, disse ao GP1 que hoje pela manhã aconteceu uma audiência na Delegacia onde foram ouvidas tanto as vítimas como o acusado acompanhados de seus advogados. “Hoje por volta de 10h da manhã, todos os envolvidos foram ouvidos na audiência, o acusado vai ser indiciado, caso seja comprovado o assédio”, disse.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegada VilmaDelegada Vilma

Vilma disse que esse tipo de agressão deixa marcas não apenas físicas, mas também psicológicas. “A agressão sexual não fica apenas com marcas físicas, mas também com marcas psíquicas e moral, a vítima nunca mais é a mesma”, comentou Vilma.

"A universidade é o laboratório científico do conhecimento humano, lá tem que melhorar e não piorar, isso é um absurdo. Logo a vegetação está muito alta, facilitando assim a ação dos estupradores e malandros, é preciso capinar o mato em torno da universidade”, concluiu.

A informação é de que o aluno teria trancado as meninas em uma das salas de aula, e tentou beijá-las, além de passar a mão nas partes íntimas sem o consentimento delas. Outro caso semelhante aconteceu nessa semana com alunas de uma escola particular da Capital, onde um grupo de garotas denunciou um professor por assédio sexual.

Tendo conhecimento da denúncia, a Universidade Federal do Piauí, por meio da sua assessoria de imprensa, informou que a Coordenação do Curso de História comunicou o fato à procuradoria jurídica da instituição para que todas as medidas necessárias sejam tomadas.

Veja a nota na íntegra:

A Universidade Federal do Piauí (UFPI) informa que o caso está sendo apurado. A Coordenação do Curso de História já comunicou o fato à procuradoria Jurídica para que todas as medidas necessárias sejam tomadas.

A Administração superior da Universidade Federal do Piauí repudia veemente qualquer forma de discriminação contra mulheres, violência física e psicológica, assédio moral, constrangimentos ilegais, discriminação de gênero, orientação sexual, raça e até mesmo padrão de beleza que reflitam o pensamento autoritário.

Todos os fatos, que chegam de maneira formal, por meio da ouvidoria ou denúncias pelas vias legais (coordenações, Chefias de departamento e diretoria de Centros) têm apuração rígida e as penalidades na forma da lei dando direito ao contraditório e a ampla defesa - uma vez que o princípio do contraditório, que é inerente ao direito de defesa, é decorrente da bilateralidade do processo: quando uma das partes alega alguma coisa, há de ser ouvida também a outra, dando a oportunidade de resposta.

A UFPI reitera o compromisso de zelar e defender a segurança dos estudantes e servidores para o pleno desenvolvimento das suas atividades acadêmicas e administrativas. Não obstante, na UFPI, como em qualquer outro lugar, é esperado que o cidadão acolha e compreenda o outro em sua integralidade e no respeito a heterogeneidade do ser humano.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB