Piauí - Curimatá

Valdecir Júnior declara situação de emergência por falta de água

Com o decreto de emergência, o município fica autorizado a fazer contratos sem licitação, desde que seja para atender de forma emergencial a situação da população.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O prefeito de Curimatá Valdecir Rodrigues de Albuquerque Júnior publicou decreto, onde declara situação de emergência no município devido à estiagem que tem reduzido as reservas hídricas existentes e destacando que existe a necessidade do município de contratar serviços para fornecimento de água potável.

Ele explica no decreto que a barragem que abastece a zona urbana do município de Curimatá está quase seca e que no momento, não possui capacidade para abastecer os moradores, estando apenas com 5% da sua capacidade. O problema tem afetado tanto o abastecimento para o consumo humano como o animal.

  • Foto: Facebook/Valdecir JúniorValdecir JúniorValdecir Júnior

A situação tem prejudicado a economia da região com “uma perda na produção agrícola no ano de 2016 de 80% da safra e tendo uma perca de 40% na safra deste ano. Também registram-se no ano de 2016 perdas consideráveis na atividade pecuária, provocando a venda de rebanhos bovinos, caprinos e ovinos e outros a preços abaixo do mercado devido à falta de água e alimentação para os animais”.

Com o decreto de emergência, o município fica autorizado a fazer contratos sem licitação, desde que seja para atender de forma emergencial a situação da população. Ele explica no decreto que o objetivo é melhorar o abastecimento de água.

“Em decorrência da falta de chuvas no município, as pessoas da zona urbana e rural estão com dificuldade de acesso à água potável para o consumo, e que o município só dispõe de um único caminhão-pipa para socorrer as populações flageladas”, destacou o prefeito. O decreto foi divulgado nesta segunda-feira (31) no Diário Oficial dos Municípios.

Mais conteúdo sobre: