Maranhão - Timon

Vendedor da CN Motos de Timon é acusado de aplicar golpe

O golpe foi aplicado em março desse ano e o caso já foi registrado na polícia.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

O fotógrafo Marcelo Cardoso afirmou ao GP1 que irá ingressar com ação na Justiça após ter sido vítima de um golpe aplicado por um vendedor da CN Motos de Timon. O golpe foi aplicado em março desse ano e o caso já foi registrado na polícia.

Marcelo Cardoso explicou que em março deste ano foi até a CN Motos, localizada na Avenida Presidente Médici, onde conversou com o vendedor sobre um consórcio, onde ele queria adquirir uma moto 160 Titan. Após conversarem, o fotógrafo fechou um acordo para participar de um consórcio e chegou a fazer um lance. Quando não foi contemplado, ele afirma que o vendedor aplicou então o golpe.

“Entrei no consórcio, onde paguei a primeira parcela no valor de R$ 423,84. Está tudo aqui no documento da CN Motos. Dei um lance, mas depois ele chegou mentindo para mim, dizendo que o meu lance não tinha sido contemplado, quando na verdade ele nem tinha me colocado no consórcio, mas na época eu não sabia. Aí depois ele disse que tinha uma moto de uma desistência no consórcio e afirmou que se eu desse os R$ 3.100 mil do lance para ele, com cinco dias me dava a moto. Eu fiquei meio desconfiado, mas um colega meu tinha feito esse mesmo processo, mas com o gerente da loja. Eu liguei para ele e me disse que dava certo, que com cinco dias entregava a minha moto. Eu então decidi participar”, destacou.

Marcelo Cardoso afirmou que fez então um acordo e assinou documentos que comprovam que ele fez o pagamento. Após a moto não ser entregue, o próprio acusado assinou um documento se comprometendo a pagar, mas o valor nunca foi devolvido e o fotógrafo agora vai pedir na Justiça que a situação seja resolvida.

“Eu passei para ele R$ 3.100 mil e paguei a primeira parcela do consórcio que está no nome da CN Motos no valor de R$ 423,84. Depois que o valor foi pago, eu não recebi a moto. Na verdade ele mentiu pra mim dizendo que eu entrei no consórcio, me enganou. Eu ligo pra a ele, ás vezes me atende, outras vezes não, sempre fica me enrolando. Ele fica curtindo com a minha cara. Fui na polícia, fiz as devidas providências. Agora vou ingressar com ação na Justiça contra a CN Motos e contra ele, pois foi usada a documentação da empresa e na época ele era o vendedor lá”, destacou.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Cn Motos em Timon CN Motos em Timon

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB