Política

Wellington Dias comenta sobre queimadas e disputa em 2018

Ao falar a respeito dos gargalos da segurança do Estado, Wellington Dias afirmou que tem buscando parcerias com o Tribunal de Justiça para realização de mutirões de julgamento.

GERMANA CHAVES

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), revelou, nesta segunda-feira (17), que além de Teresina, mais 60 cidades do Estado enfrentam problemas com a escassez de água. Ele adiantou que serão investidos R$ 1,7 bilhão na Capital e R$ 2,4 bilhões nos demais municípios que estão no centro da situação.

“Estamos no sexto ano de seca, não é só em Teresina, temos 60 municípios com problemas. Em Teresina mesmo tendo captação do Parnaíba temos a baixa do lençol freático, onde tem poço a gente está utilizando, ou estamos arrendando ou usando quando esse poço fica em área pública. Temos usado isso até a solução definitiva. Na Capital temos que investir 1,7 bilhão e 2,4 bilhões nas outras cidades. Por isso, eu sempre aposto nas pareceria público/privada para trabalharmos essa questão”, disse o governador durante entrevista à TV Cidade Verde.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1 Wellington DiasWellington Dias

 O chefe do executivo ainda pediu a ajuda dos piauienses, para que evitem a realização de queimada. “Olhem as recomendações sobre a questão dos incêndios. Vamos evitar fogo. A situação está dramática. Temos seis focos de incêndio grandes e há a necessidade da população contribuir”, alertou.

Ao falar a respeito dos gargalos da segurança do Estado, Wellington Dias afirmou que tem buscando parcerias com o Tribunal de Justiça para realização de mutirões de julgamento. “A gente tem conseguido diminuir alguns indicadores, como o de homicídios. Esse ano, temos conseguido manter um patamar próximo ao de 2015. Um problema que temos que tratar são as drogas, os dependentes”, ressaltou o governador que também falou a respeito do trabalho de ressocialização dos detentos.

“A ideia é um olhar diferenciado para indivíduos que cometem crimes sistematicamente. Estamos querendo o julgamento, uma solução definitiva. Se o indivíduo é absolvido tudo bem, mas se for condenado e tiver que ficar dez anos na prisão, tem que ter uma ressocialização”.

Wellington ainda criticou a PEC 241, que cria o teto para gastos públicos, aprovada em primeira votação no Congresso Nacional. “É preciso investir no Social e pensar no Brasil”, disse.

O governador defendeu a redução da taxa de juros para que a economia volte a crescer. “É um escândalo essa taxa de juros. Chega a ser uma irresponsabilidade. O Brasil tem que investir para que a economia volte a crescer. O Piauí não é uma ilha. É preciso que a economia como um todo se recupere. Se isso não acontecer vai ser difícil segurar em 2017”, disse o gestor.

O governador piauiense ainda destacou a necessidade de fazer uma reforma política. “A gente precisa pensar no Brasil. Não há salvação para o Piauí isolado. Não adianta a gente ter bons números, não ter dividas, estar organizado, mesmo com tudo isso, não há salvação para o Piauí isoladamente. É preciso ter uma cobrança de fora para dentro e é claro, uma reforma política”, sugeriu.

Quanto as eleições de 2018, o governador demonstrou preocupação e disse que há uma disputa do poder pelo poder. “Vejo que estamos em uma disputa do poder pelo poder muito ruim. É o pior momento na política do Brasil. Desde 2005, tenho a sensação que tudo que aconteceu foi para prender o Lula. Querem ganhar por W.O para que não tenha oposição”, lamentou o petista.

Mais conteúdo sobre:

Link do texto:

Wellington Dias comenta sobre queimadas e disputa em 2018
http://www.gp1.com.br/noticias/wellington-dias-comenta-sobre-queimadas-e-disputa-em-2018-402942.html

© 2007-2016 GP1 - O Primeiro Grande Portal do Piauí. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.