Política

Wellington diz que existe 'campanha' para desmoralizar Lula

“Desde 2005 há uma clara campanha para desmoralizar um dos maiores líderes do Brasil e do mundo, mas não há nenhuma prova", declarou.

THAIS GUIMARÃES

- atualizado

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), em entrevista a imprensa nessa segunda-feira (11), afirmou que a denúncia oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra a cúpula do Partido dos Trabalhadores, é uma “campanha para desmoralizar” o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wellington Dias Wellington Dias

“Desde 2005 há uma clara campanha para desmoralizar um dos maiores líderes do Brasil e do mundo, mas não há nenhuma prova, nenhum documento, nenhum centavo em conta, qualquer prova de que houve benefício pessoal. Eu conheço o presidente Lula de muito tempo e continuo defendendo a sua inocência, o que não é razoável é que se use declarações de qualquer pessoa, seja do lado dele ou seja adversário, como fato consumado”, declarou.

Wellington Dias também criticou o Ministério Público e o Poder Judiciário. “A denúncia sempre prejudica e eu tenho dito que independentemente de ter sido presidente ou ministro, se houver a existência de prática criminosa, tem que pagar segundo a lei, o que não é razoável é o uso de um instrumento de investigação, o uso político das estruturas de Ministério Público e do Judiciário para uma estratégia político eleitoral”, finalizou.

A denúncia

O procurador-geral Rodrigo Janot denunciou Lula, Dilma, os ex-ministros Antônio Palocci, Guido Mantega, Edinho Silva e Paulo Bernardo, o ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto e a senadora Gleisi Hoffman, alegando crime de organização criminosa. A denúncia é fundamentada nas investigações da Operação lava Jato.

Mais conteúdo sobre:

MAIS NA WEB