Piauí - Campo Maior

Wellington lança edição do Sabor Maior que terá atrações nacionais

O governador Wellington Dias (PT) afirmou que esse será um grande evento para o município.

BÁRBARA RODRIGUES

- atualizado

Governador Wellington Dias lança 7ª edição do Sabor Maior

O governador Wellington Dias (PT) lançou no Palácio de Karnak, nesta segunda-feira (25) a 7ª edição do Sabor Maior, que acontece na cidade Campo Maior entre os dias 12 e 14 de outubro e vai contar com apresentações de bandas nacionais, como Biquíni Cavadão, Paula Fernandes e Solange Almeida.

Participaram da solenidade o prefeito de Campo Maior, professor Ribinha, o secretário estadual de turismo Flávio Nogueira (PDT), o deputado Aluísio Martins (PT), superintendente do Sebrae Piauí, Mario Lacerda, o ex-prefeito e presidente do Fundespi, Paulo Martins, entre outras autoridades.

O prefeito professor Ribinha disse esperar que essa seja mais um edição de sucesso e destacou a implementação de um passaporte, com 24 carimbos, onde cada vez que a pessoa adquire um serviço, como um passeio, ela recebe um carimbo e no final poderá receber um brinde.

“Esse é o primeiro grande evento na minha gestão, acreditamos que inovamos nessa edição ao incluir o turismo, onde colocamos um roteiro com várias atividades turísticas. Acreditamos que esse será um evento momento importante para geração de renda e nesse ano teremos o passaporte, onde a pessoa pode conseguir brinde, que vai depender da quantidade de serviços que ela utilizar. Se a pessoa conseguir quatro carimbos, ela consegue um cartão postal, e por aí vai indo”, disse.

O governador Wellington Dias (PT) afirmou que esse será um grande evento para o município. “Se a gente olha pra trás a gente verifica que os festivais são uma tradição, onde entram no calendário e não saem. Um dos segredos é a cidade abraçando essa iniciativa. Temos vários artistas locais e gostei da ideia de cuidar um pouco mais dos pontos históricos, Campo Maior possui museus que contam a nossa história, o grande destaque e o ponto principal é propagar o que temos de melhor, pois a cidade é um exportador da carne de sol, e do capote, então é claro que vamos aproveitar o período do festival para potencializar essas áreas. No final do festival acabamos ficando com pessoas mais preparadas”, destacou.

MAIS NA WEB