Os conteúdos que você se dispõe a ver podem incluir textos, imagens ou outros materiais para adultos. Esses conteúdos são dirigidos especificamente para pessoas maiores maiores de 18 anos, segundo a legislação aplicável, tenham plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo. Fica, terminantemente, proibido o acesso a esses materiais por aqueles que não cumpram tais requisitos. Caso você não atenda a algum dos requisitos anteriormente expostos fica obrigado a clicar em NÃO ACEITO.

Clicando em ACEITO, você declara expressamente que é maior de 18 anos, tem plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo, deseja ver conteúdos de caráter sexual destinados exclusivamente a adultos, não considera ofensivos materiais relativos a nus ou outras atividades sexuais e abandonará, imediatamente, os conteúdos caso os considere ofensivos.

Tenho mais de 18 anos e ACEITO os termos Sou menor de 18 anos e NÃO ACEITO os termos

Processando... Processando sua solicitação



Enviar por e-mail

Enviar notícia por e-mail
Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Os comentários serão incluídos na mensagem

Comunicar erros

Comunicar erro na notícia
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Descreva o que há de errado com esta notícia
23/03/2012 - 08h59

Contos eróticos: Vi minha esposa dando o cú na praia

Atualizada em 23/03/2012 - 09h01
Imagem: ReproduçãoClique para ampliarSexo anal da praia(Imagem:Reprodução)Sexo anal da praia
Após vinte anos casado com a Valdete, nosso casamento começou a entrar na rotina, eu e a Valdete tinhamos uma vida pacata, era de casa para o serviço e do serviço para casa, começaram as brigas, as desconfianças, as ofenças e tudo de ruim. Valdete e uma mulher maravilhosa, tem um corpo lindo, bem malhado, pernas grossas, bunda arrebitada, morena dos olhos verdes, eu sentia muito ciumes dela, sabia que todos os lugares que ela estivese, sempre tinha um gavião por perto, querendo comer a carne e qui carne ela tinha.

Valdete sabia que era gostosa e que deixavam os homens de boca aberta, com a sua bunda gostosa, o que me deixava mais louco, era as roupas que ela usava. Com aquela bunda arrebitada, Valdete gostava de usar vesditos curtos e justos, que deixava sua bunda bem saliente, para me provocar, ela começou a não usar mais calcinha, quando eu reclamei ela me disse, que seus vestidos marcavam a calcinha e ficava muito escandalozo, e se ficase sem calcinha não ficava marcada, eu retruquei e falei, mas quando você se sentar numa cadeira, todo mundo vai ver que você esta sem calcinha, Valdete me disse, quem não quiser ver não olha, eu disse, então você quer mostrar pra todo mundo, ela me disse, já que você não quer mais, quem sabe aparece quem queira, eu fiquei puto da vida, porque já fazia mais de dois meses, que nos não tranzava, devido as brigaiadas, que tinhamosdiariamente.

Um dia Valdete chegou em casa e me disse, que iria viajar para a praia, com umas colegas de serviço, era feriado prolongado e elas iriam aproveitar para tomar um sol.

Sem ela saber eu segui o carro delas com meu carro e fiquei em outro hotel só observando o que elas faziam, no primeiro dia, ela foram para uma praia deserta, onde tomaram sol nuas, eu de longe só na moita olhando, a noite elas foram se divertir numa boate, logo vi uma das colegas dela sair da boate com um homem, momentos depois Valdete saiu acompanhada de um rapaz, com uma garrafa na mão percebi que Valdete estava bebada, quando eu vi eles entraram num carro, que estava parado ali perto, como os dois estavam quase bebados, nem se preocuparam em fechar o vidro do carro e nem procurar um lugar mais afastado, mais escurinho, ficaram ali mesmo no estacionamento, que era todo iluminado, me aproximei o maximo que pode, fiquei bem perto do carro que eles estavam, vi a minha linda Valdete, chupando o cacete do cara, ela chupava igual ela chupava o meu quando nos tranzavamos, logo ele tirou toda a roupa dela e deixou ela peladinha, colocou a Valdete de quatro no banco do carro e começou a socar o cacete na boceta, da minha Valdete que gemia feito uma cadela no cio, percebi quando ela gozou pelo grito que ela deu, depois, para minha tristeza, ouvi quando o cara falou pra Valdete, agora aquenta firme, que eu vou comer esse cuzinho gostoso, ouvi quando a Valdete falou, soca com força, que já faz tempo que não dou o cu pra ninguem, e ela gemia e falava ai como e gostoso dar o cu, soca fundo, soca, goza nomeu cu, enche meu de porra seu gostoso filho da puta, ouvi quando o cara deu um suspiro profundo e falou toma gostosa vou gozar dentro do seu cu, Valdete falou goza no meu cu seu filho da puta, aaaii,aaaii, filho da puta que cacete grande do caralho, até rrasgou meu cu, dai o cara disse, pra Valdete, amanha tem mais, quero comer esse cu denovo, nisso eu sai dali e fui me embora louco da vida, agora eu sei que sou corno de verdade.

Fonte: Conto erótico

Keywords: sexo anal, sexo na praia, contos eróticos


Saiba mais sobre Contos Eróticos

Leia também