Os conteúdos que você se dispõe a ver podem incluir textos, imagens ou outros materiais para adultos. Esses conteúdos são dirigidos especificamente para pessoas maiores maiores de 18 anos, segundo a legislação aplicável, tenham plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo. Fica, terminantemente, proibido o acesso a esses materiais por aqueles que não cumpram tais requisitos. Caso você não atenda a algum dos requisitos anteriormente expostos fica obrigado a clicar em NÃO ACEITO.

Clicando em ACEITO, você declara expressamente que é maior de 18 anos, tem plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo, deseja ver conteúdos de caráter sexual destinados exclusivamente a adultos, não considera ofensivos materiais relativos a nus ou outras atividades sexuais e abandonará, imediatamente, os conteúdos caso os considere ofensivos.

Tenho mais de 18 anos e ACEITO os termos Sou menor de 18 anos e NÃO ACEITO os termos

Processando... Processando sua solicitação



Enviar por e-mail

Enviar notícia por e-mail
Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Os comentários serão incluídos na mensagem

Comunicar erros

Comunicar erro na notícia
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Descreva o que há de errado com esta notícia
30/08/2010 - 16h05

Meu irmão me comeu dentro da piscina

Oi, meu nome é Camila, tenho 17 anos, cabelos preto-escuros até a altura do ombro, pele branca feito papel (tá bom, é um exagero sim), 1,70 de altura, olhos verdes, faço academia sempre e tenho um corpinho bem em forma (não musculosa nem nada do gênero, mas ao menos não tenho gordurinhas). Perdi minha virgindade aos 15 anos. Meu irmão, Caio (apelido), têm 15 anos, cabelo marrom escuro (curtinho), pele menos branca que a minha e olhos verdes como os meus. Um verdadeiro gatinho. Introduções feitas, agora vou relatar a história que aconteceu comigo faz um ano (quando eu tinha 16 e meu irmão 14).
Era janeiro, tempo quente. Nós dois estávamos de férias, então ficavamos dias em casa sem fazer absolutamente nada. Com o calor constante, eu sempre curtia me trocar pra um biquinizinho e nadar na piscina aqui de casa. Nossa casa fica na área metropolitana, bem longe do movimento da cidade. A casa, que fica dentro de um condomínio fechado, é enorme e bem cercada de árvores altas que impedem que estranhos fiquem bisbilhotando a casa do lado de fora. E isso era vantajoso, pois eu gostava de tomar banho de sol inteiramente nua para ficar um pouco bronzeadinha e não deixar marcas de biquini. Toda vez que meu irmão saia com os amigos e meus pais estavam trabalhando o dia inteiro, eu aproveitava para deitar ao lado da piscina e ficar inteiramente nua tomando meu solzinho. Ás vezes eu até me excitava e começava a bater uma lá mesmo, pois a idéia de estar totalmente nua no meio da natureza (nossa casa têm muitas árvores, plantas e flores) dava muito tezão.
Um dia de sol, porém, eu escutei meu irmão falando que ia sair. Ouvi a porta da frente bater. Aproveitei, e saí pra piscina. Estava de mini-saia e um topzinho. Sabia que meu irmão iria demorar algum tempo antes de voltar (algumas horas), então nem sequer me importei em trocar de roupa e colocar meu biquini: já fui chegando na piscina e tirando toda a roupa. Pulei dentro da água fresquinha. Era tão bom sentir aquela água gostosa toda revolvendo meu corpo quente. Quando decidi sair da piscina e deitar, ainda nua, no sol, eu escutei esse bip esquisito. Nem sequem me importei em olhar. \"Não deve ser nada. Apenas o telefone tocando\", pensei. Mas logo em seguida, mais um bip. Foi quando eu pensei \"Isso não pode ser barulho de câmera, não é?\". Logo lembrei da câmera digital que a gente tinha em casa. Era o mesmo barulho! Assustada, olhei em volta e vi meu irmão, com a câmera na mão, sorrindo para mim. Fiquei vermelha de vergonha e me cobri com a mini-saia (que era a única roupa por perto). Tive que cobrir meus seios com a mini-saia e meu grelhinho com a mão. Ele disse que sabia o que eu sempre fazia quando ficava sozinha em casa. Falou que muitas vezes fingiu que saia de casa, e pulava pela janela de volta qd sabia que eu estava na piscina. Ele disse que me observou muitas vezes, e até bateu várias punhetas me observando. Falou também que tirar foto minha foi idéia do amigo dele.
Estava brava, pq não gosto que fiquem me espiando. Disse para ele me entregar a câmera. Pra minha surpresa, ele me entregou sem hesitar. Mas quando eu a abri, vi que o chip que guardava as fotos não estava lá. Ele tinha escondido o chip. Um problema é que o chip poderia estar em qualquer lugar pois é bem pequeno, inclusive no chão debaixo de uma folhinha de arvore qualquer. Mandei que me entregasse o chip que tinha as fotos. Ele falou \"Só se você me fizer algo\". Fiquei alguns segundos em silêncio. Eu já sabia o que ele iria pedir: cheguei nele, abaixei suas calças e comecei á fazer um boquete instantâneamente. Aquilo pegou ele de surpresa. O pau dele ficou duro na hora. Lambi a cabecinha e chupei com voracidade para ele gozar logo. Senti que ele ía gozar, pois ele começou á fazer movimentos de vai-e-vem, literalmente tentando \"foder\" minha boca com o pau dele. Tentei me livrar, mas foi rápido demais: ele gozou na minha boca. Eu, como adoro gozo, engoli, sem lembrar que era do meu irmão. Ele olhou pra mim, ainda surpreso, e disse: \"Eu só ia pedir pra tocar nos seus seios...\". Não sabia mais o que fazer. Fiquei vermelha de vergonha. Ele disse que, agora que sabia que eu faria de tudo pra não ter minhas fotos nuas divulgadas entre os amigos dele (eu conheço meu irmão bem: ele faria isso se pudesse), ele queria mais.
Recusei. Disse que já tinha feito mais do que deveria (e mais que ele esperava). Ele falou: \"Azar. Você têm duas opções: deixar que eu publique suas fotos pela net e mande para todos os meus amigos...\". Interrompi ele dizendo \"Você deve estar louco se acha que vou tomar essa opção\". Ele continuou: \"...Ou você pode dar pra mim\". Fiquei alguns segundos pensando, sem saber o que fazer. \"Isso é errado\", pensei. \"Ser comida pelo meu irmão? Que loucura seria!\". E, enquanto eu estava pensando, meu irmão se aproximou de mim e colocou a mão dele sobre a minha mão que estava sobre a buceta. Instintivamente, retirei minha mão, dando-lhe acesso total á minha xaninha. Ele enfiou apenas um dedo dentro do meu buraquinho. E nesse momento eu caí em transe completo: queria foder. Nem que fosse com ele.
Ele enfiou seu dedo dentro da minha bucetinha e começou com movimentos leves de vai-e-vêm. Aquilo estava me deixando muito excitada. Era raro que um homem batesse pra mim. Pedi mais. Ele enfiou mais um dedo. O indicador e o dedo do meio já estavam na minha bucetinha. Os movimentos começaram á accelerar a medida que eu ficava mais e mais molhadinha e lubrificada. Comecei á gemer. Deixei a mini-saia que estava cobrindo meus peitos cair, e ele logo tratou de alisar meu seio direito com a mão esquerda e lamber meu seio esquerdo. Aquilo estava me delirando: eu, de pé, nua a céu aberto, com meu irmão batendo uma pra mim. Meus gemidos começaram a aumentar. Derrepente, a boca dele começou a descer, me lambendo da ponta do seio até quase o umbigo, nunca parando de enfiar os dois dedos nam minha bucetinha. Sua língua rodeou um pouco meu umbiguinho, me deixando louca. E a boca desceu um pouco mais, chegando no meu grelhinho. Ele tirou os dois dedos e enfiou sua língua dentro de mim, me fazendo quase urrar de tezão. Eu sentia que estava quase gozando com a língua dele dentro de mim.
Minhas pernas já estavam bambas. Foi então que tive uma idéia genial: entrar dentro da piscina. Notei que eu estava segurando a cabeça dele, empurrando seu rosto mais pra dentro da minha xaninha. Pedi que ele parrase e entrasse comigo dentro da piscina. Ele tirou suas roupas e entrou comigo. Dentro da piscina, fiquei encostada na parede, e ele enfiou mais uma vez seus dedos dentro da minha xotinha, e voltou á lamber meus seios, que estavam um pouco acima da água. Derrepente, ele me agarra pela cintura e me levanta pra fora da água. Sentei na bordinha, e ele abriu minhas pernas. Ele enfiou apenas um dedo. Logo em seguida vi seu rosto se aproximando da minha bucetinha. Ele começou a brincar com meu clitoris, passando a língua nele. Eu sabia que tinha que ter o pau dele dentro de mim e tinha que ser já! Entrei dentro da água e notei que ele já estava de pau duro. Pedi que ele enfiasse em mim.
Ele pegou a cabecinha do pau e colocou na entrada da minha xaninha. A água deve ter me lubrificado bastante, pois logo notei que ele já estava me bombando com seu pau de 17cm (o que me surpreendeu, trantando-se do meu irmão que era virgem até aquele dia). Eu senti meu gozo chegando, e ele deve tb ter sentido, pois ele parou derrepente e tirou seu pau de mim. Perguntei pq ele tinha feito isso. Ele olhou pra mim e senti suas mãos acariciando minha bunda. Enquanto a mão esquerda acariciava minha bunda, senti ele enfiando um dedo da mão direita no meu cuzinho. Pedi que ele continuassa á me foder, e ele tentou me virar de costas. Esclareci, \"Não. Não estou falando do meu cu. Estou falando da minha bucetinha\". Ele, sem querer saber de conversa, me virou. Eu virei de volta pra ele e disse que não iria dar o cu pra ele. Ele perguntou \"Não foi facinho eu entrar com meu pau na tua xaninha?\" Respondi que sim. \"Então, não vai doer nada no teu cu pq a água em volta vai lubrificar ele\", meu irmão falou, enquanto enfiava um segundo dedo no meu cu, me fazendo gemer mais. Sem pensar, virei de costas pra ele, me inclinei um pouco, apoiei minhas mãos na borda da pisicina e disse \"Então vai logo antes que eu mude de idéia\".
Ele colocou seu pau na entradinha do meu cu, e antes de enfiar, enfiou 3 dedos juntinhos na minha bucetinha, me estremecendo toda. Com meu tezão lá no alto, ele aproveitou e enfiou seu pau bem devagar no meu cuzinho. E, em sincronia com sua mão, começou á me foder lentamente. De pouco em pouco, aumentou o rítmo. Eu estava gemendo muito: \"Ah! Vai Caio! Vai mais rápido! Ai Caio! Enfia mais um dedo na minha bucetinha Caio! Ai! Isso!\". Ele estava me fodendo muito rapidamente. Comendo meu cuzinho, com 4 dedos na minha bucetinha, dentro da piscina. Eu demorei algum tempo pra gozar, mas gozei antes que ele. Deixei que ele fudesse meu cuzinho por mais uns 2 minutos e ele gozou lá dentro mesmo. Ele então pediu que eu ficasse de bruços na borda da piscina, com minha bunda empinada fora d\'água. Quando saí da água, ficando apenas com minhas pernas dentro da piscina, senti sua língua invadir meu cu e chupando todo o próprio gozo dele. Aquilo me levou á loucura. Ele então desceu com a língua até o meu grelhinho e começou á me chupar lá, enquanto enfiava 2 dedos no meu cu limpinho. Demorei mais uns 3 minutos e gozei de novo.
Depois disso, ficamos algum tempo secando naturalmente ao sol, totalmente nús. Ele foi buscar o chip, que ele tinha escondido atrás de uma árvore e entregou pra mim.
Após essa foda, nós transamos muito mais vezes. Inclusive, já fiz até menage-a-trois com ele e amigos dele.

Fonte: Contos eróticos

Keywords: sexo, fotos, pernas, seios, boca, piscina, câmera, gozar, oral, língua, gozo, irmão, bunda, cuzinho, dedos, bucetinha, tezão, grelhinho, xaninha, enfiou, minha xaninha, minha bucetinha


Saiba mais sobre Contos Eróticos

Leia também