Os conteúdos que você se dispõe a ver podem incluir textos, imagens ou outros materiais para adultos. Esses conteúdos são dirigidos especificamente para pessoas maiores maiores de 18 anos, segundo a legislação aplicável, tenham plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo. Fica, terminantemente, proibido o acesso a esses materiais por aqueles que não cumpram tais requisitos. Caso você não atenda a algum dos requisitos anteriormente expostos fica obrigado a clicar em NÃO ACEITO.

Clicando em ACEITO, você declara expressamente que é maior de 18 anos, tem plena capacidade para acessar produtos relacionados a sexo, deseja ver conteúdos de caráter sexual destinados exclusivamente a adultos, não considera ofensivos materiais relativos a nus ou outras atividades sexuais e abandonará, imediatamente, os conteúdos caso os considere ofensivos.

Tenho mais de 18 anos e ACEITO os termos Sou menor de 18 anos e NÃO ACEITO os termos

Processando... Processando sua solicitação



Enviar por e-mail

Enviar notícia por e-mail
Exemplo: nome@example.com. Para enviar para mais de uma pessoa, separe os endereços por vírgulas
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Os comentários serão incluídos na mensagem

Comunicar erros

Comunicar erro na notícia
Informe o seu nome
Informe o seu endereço de e-mail
Descreva o que há de errado com esta notícia
20/06/2012 - 09h42

Meu pai descobriu que gosto de dar a bundinha e acabo mim fudeno

Meu nome é Gizele, e com 18 anos ainda era cabacinho e viciada em dar a bundinha. Muito safadinha comecei masturbando um dos meus namoradinhos, depois fazendo boquete e por fim dando meu traseiro. Gostei tanto que logo na primeira vez cheguei a ter um orgasmo vaginal só tendo um pau no rabo. Cheguei a deixar alguns namorados assustados por eu mesma me oferecer pra lhe dar a bundinha... Muitos ficavam tão chocados que logo o namoro terminava. Pra melhor esclarecimento; sou morena, 1,68 mts, 62 kgs, peitinhos volumosos e uma bundinha media e empinada. Meus pais apesar de viverem em harmonia, dormiam em quartos separados e pareciam mais irmãos do que marido e mulher. Como muitas vezes já tinha feito antes com meus pais trabalhando, ficava bem a vontade dentro de casa andando só de calcinha e sutiã; e até só de calcinha... Era assim que estava quando fui atender o telefone na sala e passei a conversar com minha grande amiga Vera lhe contando sobre minhas safadezas com meu novo namoradinho. Adorava ser desbocada e falava com todas as letras de como ofereci minha bundinha pra ele e como ele ficou louco enfiando seu pau no meu cuzinho... E rindo muito ainda falei que ele tinha feito de tudo pra comer minha buceta; mas que eu não deixei dizendo pra ele que só podia na minha bundinha:
- Kkkkkkkkk! Ele é melhor do que o Samuel que nem bem enfiava no meu cuzinho já
ia gozando!...
De repente fiquei dura que nem uma estátua, com o telefone no ouvido olhando de boca aberta pro meu pai parado logo na minha frente... Demorei pra desligar o telefone sem nem mesmo me despedir de Vera e minha preocupação não era que ele estava me vendo quase nua (só de calcinha):
- Paiiiii??? Você estava ouvindo minha conversa?...
Mesmo vendo que ele sorria, continuava apavorada sem conseguir me levantar do sofá; apenas tapei meus seios com as mãos.
- Claro que estava Regina; achei sua conversa bastante interessante!
- Ma-ma-mas era tudo mentira pai, estava apenas tirando um sarro da minha colega.
Ele sentou do meu lado e puxando um dos meus braços fazendo meu peitinho novamente aparecer, segurando na minha mão.
- Está com medo que eu brigue com você, é?
Ao invés de ficar com a cara vermelha, devia estar roxa... Confirmei que sim com a cabeça e ele me abraçando.
- Hoje em dia é normal uma menina na sua idade fazer sexo, e acho que você deve saber muito bem o que está fazendo!
Tentei dizer novamente que era tudo mentira e ele descaradamente fazendo carinho no meu peito.
- O que? Que você gosta de dar a bundinha?
Minha vontade era poder virar fumaça e sumir da frente do meu pai.
- É pai; é isso! Estava brincando com minha amiga.
- Hahahahaha! Qual o problema Regina; acho normal o sexo anal... Também gosto!
Ele continuava me abraçando e apalpando meu peitinho... Sem saber o que fazer acabei perguntando.
- É pai, você gosta?
- Claro filha... Na sua idade, sexo anal era o que mais nós fazíamos com nossas namoradas.
Nem saberia explicar porque comecei a querer prolongar aquela conversa.
- E depois que casou?
Ele deu uma forte gargalhada e:
- Pô Regina... Não vou poder falar da minha intimidade com sua mãe, né?
- Desculpe pai... Não devia ter perguntado; Kkkkkkkkk!!!!
Eu já deixava meus dois peitinhos aparecendo e ele acariciava ora um e ora o outro.
- Mas você sabe que eu e sua mãe já nem mais transamos juntos, não sabe?
Isso a tempos que já sabia... Consegui deixar toda minha vergonha de lado e olhando pro seu rosto.
- Você tem outra namorada?
Pra mim, estava fazendo uma pergunta totalmente absurda... Mas acho que era por estar ainda um pouco nervosa. Ele segurando meu queixo e me dando uma bicota.
- Estou procurando filha, mas ainda não encontrei uma boa namorada.
Analisei que ele; mesmo ainda não tendo encontrado, devia andar transando com outras mulheres. Mas foi o que ele falou em seguida que me deixou novamente com vergonha.
- Gostaria de encontrar uma namorada bonita assim como você, e que também gostasse de dar a bundinha; Kkkkkkkk!!!...
- Ah pai; você está rindo de mim!...
Ele me deu um beijo um pouco mais demorado encostando seus lábios nos meus.
- Não estou não... Quer brincar de ser a namoradinha do papai?
Achei que ele estava brincando, mas quando ele voltou a me dar outro beijo na boca comecei a ficar toda trêmula.
- Mas pai??? Isso não tem cabimento!...
Ele brincando de rodar o biquinho do meu peito com seus dedos.
- Ninguém precisa ficar sabendo filha; e é só tomarmos cuidado pra ninguém descobrir!
- Ma-ma-mais a-a-ainda sososooouuuuu virgem!
Foi a vez dele ficar espantado, e ao me perguntar “como” tive que explicar que só deixava na bundinha e que mesmo assim eu conseguia ter orgasmos. Ele além de me beijar na boca deu algumas mamadas nos meus peitinhos me deixando totalmente desarmada.
- Papai também só coloca na sua bundinha se você quiser; aceita ser minha namorada?
- Estou com muito medo, pai!...
Nem tinha percebido o que ele fez, só dei conta quando ele me fez segurar algo duro e roliço... Era lógico que ele tinha colocado seu pinto pra fora das calças.
- Não precisa ter medo do papai... É só você dizer que aceita, ok?
- Tá pai; eu aceito sim!
Resolvi olhar o que minha mão segurava e fiquei admirando aquele colosso de pau enquanto ele ia tirando minha calcinha.
- Na sala não pai... Vamos lá pro meu quarto!
Todos que me comeram, foi sempre de quatro ou em pé mesmo em algum canto escuro... Não permitida que nem encostasse o dedo na minha xoxota. Pela primeira vez deitei nua de barriga pra cima na frente de um homem... Ele abrindo minhas pernas.
- Puta-que-pariu Regina; você é muito gostosa!
A vontade que eu passei a ter em dar a bundinha pro meu pai superava qualquer vergonha ou medo... Ele só passou um pouco de saliva no pau e veio me fazendo suspender minha pernas pra conseguir chegar no meu cuzinho. Logo que senti entrando já fui sentindo que ele seria o melhor de todos os namorados que eu já tinha tido... Enterrou tudo no meu cuzinho e começou a socar ritmado e com força me fazendo urrar de prazer. Minha bucetinha ali de frente pra ele, enquanto ele puxava seu pau e socava no meu cú foi passando os dedos na portinha da minha buceta me fazendo ter um rápido orgasmo.
- Ai, ai, ai... Hummmmm... Aaaah... Aaaaaahhhh... Aaaaaaaahhhhhhhhhhh!!!!!!
Gozei gostoso e logo senti despejando todo seu esperma dentro do meu cuzinho. Meu pai passou a ser minha tara e muitas vezes ia até meu quarto depois que minha mãe ia dormir só pra meter na minha bundinha ou me deixar apenas chupar seu lindo e gostoso cacete.
Quando ficamos sozinhos e mais tranquilos, ele costumava esfregar seu pau na portinha da minha buceta antes de meter no meu cuzinho.
- Quando quiser filha; é só pedir que papai mete nessa sua linda bucetinha!
- Ainda não pai... Ainda não!
Foi num feriado prolongado que meu pai, na frente da minha mãe, me perguntou se eu queria ir com ele pra casa que meu avô tinha numa praia em Angra dos Reis e que raramente alguém usava.
- Vamos mãe; vamos nós três!
- Não filha; vai você com seu pai... Prefiro ficar em casa!
Fiquei ansiosa pra chegarmos em Angra (Garatucaia) e ficar quatro dias sozinha com meu pai. Nem bem entramos na casa ele me pegou no sofá da sala e atolou gostoso no meu cuzinho. A noite, +- 9 horas, com pouquíssima gente na praia, fomos pra dentro da água e no escuro ele me abraçando por trás.
- Deixa comer sua bundinha aqui, deixa?
Com água apenas um pouco acima do meu joelho e praticamente sem onda, achei excitante aquele convite que ele me fez. Arriei a parte de baixo do biquíni e reclinando um pouco o corpo pra frente deixei enfiar todo seu pau. Ele socando lentamente no meu cuzinho.
- Vamos lá pra casa; estou louco pra meter na sua bucetinha!
- Não pai; na buceta não!
Ele gozando no meu cú.
- Você precisa perder esse medo filha... Aposto que você vai gostar mais do que na bundinha!
Custou a me convencer, e só deixei na condição dele parar se eu não estivesse gostando. Tomamos um banho juntos onde ele me beijou muito e acariciou todo meu corpo me deixando novamente pegando fogo com vontade de dar de novo minha bundinha. Fomos pra cama e ele esfregando seu pau na minha bucetinha.
- É só ficar relaxada filha... Vai ver que não tem nada demais perder o cabaço!
Eu estava muito tensa quando ele começou a forçar na entrada da minha buceta.
- Ui, Ui, Ai, Ai... Aaaaiiiii; tá entrando pai; tá entrando!!!!
Logo senti uma grande ardência e algo quente escorrendo na minha bucetinha... Me dei conta que tinha acabado de perder minha virgindade. Ele enfiou até quase o saco e deitando sobre mim me beijando.
- Tá vendo filha... Agora você é uma mulher de verdade!
Minha bucetinha latejava em torno daquele pau roliço que logo começou um lento vai-e-vem me fazendo ter meu primeiro orgasmo com um pau enfiado na minha bucetinha toda ardida. Ele foi gradualmente aumentando a força das socadas.
- Não precisa ter medo que o papai vai tirar antes de gozar, tá bom?
Em menos de dois minutos estava tendo o meu segundo e impressionante orgasmo e quando ele tirou e foi esporrando tudo sobre minha barriga, eu ria toda boba por ter perdido tento tempo... Dar a buceta é tão bom ou até mais gostoso do que na bundinha.

Imagem: ReproduçãoMeu pai descobriu que gosto de dar a bundinha. (Imagem:Reprodução)Meu pai descobriu que gosto de dar a bundinha.

Curta a página do GP1 no facebook
: http://www.facebook.com/PortalGP1

Fonte: Contoerotico.com

Keywords: orgasmo, cuzinho, minha bucetinha


Saiba mais sobre Contos Eróticos

Leia também