Colegas condenam professor da UFPI que ficou na Suécia após doutorado

- atualizado

Pedindo omissão de seus nomes em provável noticiário, três professores da Universidade Federal do Piauí procuraram o redator desta coluna, ontem pela manhã, para condenar a atitude do colega Ricardo Britto, filho da vereadora Teresa Britto, do curso de Computação que após concluir doutorado de quatro anos na Suécia por conta da Instituição, manobra para continuar na Europa recebendo salário integral após ser contratado por uma multinacional e começar a construção de uma casa.

A Universidade Federal do Piauí investiu, segundo afirmam, meio milhão de reais, no doutorado de Ricardo Britto, com o compromisso de ele voltar para o Piauí e transmitir os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Agora, Ricardo tenta na Justiça ser transferido do departamento de computação para o de ensino à distância, com o objetivo de ficar com os dois salários morando no país europeu.

Ricardo primeiro tentou uma solução administrativa, encaminhando solicitação a um conselho da Universidade, solicitando a transferência mas teve o seu pedido negado. A partir daí tenta na Justiça uma solução que lhe permita ficar numa situação confortável, dando aulas a partir da Suécia ao mesmo tempo em que trabalha para a multinacional.

EXCLUSIVAS

Só um caso

Colegas do professor Ricardo, reconhecidamente muito preparado, lembram que até agora só houve um caso de professor da Universidade Federal que fez doutorado fora do Brasil e permaneceu no exterior.

Devolveu tudo

Os professores preservam o nome do colega e o enaltecem porque ele pediu demissão e devolveu todo o dinheiro que a Universidade Federal gastou com seus estudos fora do Brasil, o que Ricardo não quer fazer.

Solinei passa mal

Piauiense de São João do Piauí, o ex-prefeito de Coelho Neto, no Maranhão, Solinei Silva passa mal com uma infecção muita forte.

Começou a melhorar

No início da tarde de ontem o ex-prefeito de Ribeira do Piauí, Solano Silva, irmão de Solinei, disse a este repórter que ele começava a apresentar alguns sinais de melhora.

Empresário diz que prefeito é do Crime Organizado

O prefeito de Ribeira do Piauí, Arnaldo Araújo Costa, pertence ao crime organizado, segundo denúncia feita ontem em Teresina pelo empresário Solano Silva, ex-prefeito do município.

Pai e filho

Solano disse que na operação Geleira, da Polícia Federal, há poucos anos, quem foi preso por utilizar notas fiscais frias foi o então prefeito de Ribeira Jorge Araújo Costa, pai do atual, que tinha o filho como tesoureiro naquela época.

Rei das notas frias

Solano garante que Jorge Araújo Costa, pai do prefeito de Ribeira, é o "rei das notas fiscais frias" e o filho está enveredando pelo mesmo caminho.

Nepotismo

Solano aponta ainda a prática de nepotismo no município de Ribeira do Piauí pois a situação do passado se inverteu: hoje o pai do prefeito Arnaldo, Jorge, é secretário do filho.

Despreocupado

  • Foto: Lucas Dias/GP1Evaldo GomesEvaldo Gomes

Presidente do PTC, o deputado Evaldo Gomes diz acreditar na palavra do governador Wellington Dias e por isso está despreocupado com relação à "chapinha" que quer formar.

Anúncio de chapão

  • Foto: Lucas Dias/GP1Senador Ciro Nogueira Senador Ciro Nogueira

Evaldo não caiu na onda do "chapão" (única coligação com todos os partidos da base para deputado) depois que o senador Ciro Nogueira anunciou que esse teria sido o formato garantido pelo governador.

Estrategista

Estrategista como poucos políticos, de origem muito humilde da Vermelha, Evaldo Gomes chegou à Assembleia com 12 mil votos como resultado das coligações que fez com pequenos partidos.

Votação triplicada

  • Foto: Lucas Dias/GP1Deputado Antonio FelixDeputado Antonio Felix

Hoje Evaldo Gomes triplicou a sua votação e se elege em qualquer coligação, mas tem compromissos com candidatos que abrigou no seu partido, como Antônio Felix, Henrique Rebelo e Francis Lopes.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Bacharel em Direito, Feitosa Costa é jornalista desde 1977 e escreve a Coluna Política & Bastidores. Contato: (86) 98162 1515 / 99987 8114