Covid-19: prefeito de Currais proíbe instalação de internet

- atualizado

Com a pandemia provocada pelo novo coronavírus, prefeitos estão impondo as mais esdrúxulas medidas para o enfrentamento da crise sanitária e nos mostrando o quanto seria fácil implantar uma ditadura no Brasil.

No pequeno município de Currais, com apenas 4.900 habitantes e situado a 674 km ao sul de Teresina, o prefeito Raimundo Santos publicou decreto proibindo a instalação de serviços de internet.

A proibição é descabida e irracional, o doublé de ditador deveria saber que internet é hoje considerado serviço essencial, que aproxima pessoas nesse momento de isolamento social.

Além disso, o prefeito proibiu a entrega em domicílio de móveis, eletrodomésticos e eletroportáteis bem como a circulação de mercadorias de vendedores ambulantes.

Poderia estar preocupado em promover ações e bem empregar os valores enviados pelo Governo Federal, já que o município foi contemplado com R$ 94.926,50 (noventa e quatro mil, novecentos e vinte e seis reais e cinquenta centavos) para prevenção e combate ao novo coronavírus e vai receber do Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus o valor de R$ R$ 481.524,41 (quatrocentos e oitenta e um mil, quinhentos e vinte e quatro reais e quarenta e um centavos).

Vale lembrar ainda que de acordo com o boletim informativo da Secretaria de Estado de Saúde (Sesapi) divulgado na noite de quarta-feira (20), o município de Currais não possui sequer um caso confirmado de covid-19.

Mais conteúdo sobre:
Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Herbert Sousa é jornalista. Contato: (86) 9 8806-8907 / (86) 9 9436-9811