Entenda como ter uma pele bronzeada de forma saudável

- atualizado

As mulheres têm buscado cada vez mais ter uma pele bronzeada. No entanto é importante tomar alguns cuidados para evitar a desidratação e queimaduras na pele. Por isso, entrevistei a dermatologista Fernanda Ayres, que tirou algumas dúvidas sobre bronzeamento.

Há muitos métodos de bronzeamento no mercado, mas Fernanda Ayres afirmou que a melhor forma de buscar ter a pele bronzeada é por métodos que não utilizam radiação ultravioleta. “Indicamos o uso de autobronzeadores ou bronzeamentos a jato, que utilizam substâncias que tenham como princípio ativo a dihidroxiacetona (DHA) ou a eritropoese que reagem com as células da superfície da pele, oxidando-as e produzindo uma substância amarronzada”, disse.

A dermatologista ressaltou que todas as formas de bronzeamento rápido são prejudiciais à saúde. “Exposição a raios ultravioletas, sejam eles do sol, bronze com fita ou das câmaras de bronzeamento artificial, aumenta a risco de desenvolvimento de todos os tipos de câncer de pele, seja a exposição intermitente quanto a exposição crônica solar”, disse Fernanda. Além disso, o uso de vaselina pode acarretar queimaduras na pele provocando tanto danos direto como insolação, queimaduras e até pode aumentar o risco futuro de câncer de pele.

Ao se bronzear é necessário beber bastante água para evitar uma possível desidratação. “Recomendamos o aumento da ingestão hídrica, assim como não exceder no tempo de exposição, além de hidratar bastante a pele após”, afirmou. A ingestão de alimentos ricos em betacaroteno como cenoura, damasco, manga, maçã e legumes como o pimentão, irão também ajudar a conseguir ter uma pele bronzeada.

Mas caso fique desidratado devido a exposição ao sol, é importante tomar todos os cuidados para evitar ainda mais a perda hídrica. “A pessoa deve ficar em um local bem ventilado e com sombra, beber bastante água, tomar banho com água um pouco fria, além de aplicar compressas molhadas sobre o corpo, para ajudar a baixar a temperatura”, disse Fernanda. A médica ainda ressaltou que em casos mais graves torna-se necessário o uso de medicamentos prescritos por um dermatologista.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Cinara Taumaturgo escreve na coluna “Autêntica” sobre moda, internet e beleza. Contato: [email protected]