Peritos da Polícia Federal examinam durante a noite local onde Fernanda Lages morreu

Peritos da Polícia Federal fizeram um levantamento em todo o prédio em acabamento da Procuradoria Geral da República, na avenida João XXIII, onde a estudante de direito Fernanda Lages Veras foi encontrada morta, na manhã de quinta-feira passada. O trabalho foi realizado entre 20 e 23 horas de terça-feira, dia 30, e concentrado numa espécie de ponto de observação existente no 4° andar da construção, de onde a moça teria se jogado ou empurrada para a morte.

Imagem: Wanessa Gommes/GP1Carros dos peritos da PF em frente ao prédio da MPF(Imagem:Wanessa Gommes/GP1)Carros dos peritos da PF em frente ao prédio da MPF

Imagem: Wanessa Gommes/GP1A seta indica o local onde os peritos se encontravam(Imagem:Wanessa Gommes/GP1)A seta indica o local onde os peritos se encontravam

Esta foto mostra exatamente o ponto em que foram encontrados sinais de que ela teria se projetado ou jogada. Existe uma parede de pelos menos 1 metro e 10 de altura. No local foram encontrados dois tijolos sobrepostos e uma marca que pode ser da sapatilha da garota. Pouco abaixo existe uma espécie de escada de andaimes de ferro que sai do térreo até quase a altura do piso.

Imagem: Wanessa Gommes/GP1Carro tinh a placa de Brasília(Imagem:Wanessa Gommes/GP1)Carro tinh a placa de Brasília

Durante quase três horas repórteres do GP1, Feitosa Costa e Wanessa Gommes, acompanharam do pátio do DNIT, que fica ao lado, o trabalho dos peritos federais. Em intervalos de cerca de 10 minutos todo o ponto ficava sob uma iluminação esverdeada produzida por equipamentos especiais da Polícia Federal.

Imagem: Wanessa Gommes/GP1Peritos da PF examinaram o local(Imagem:Wanessa Gommes/GP1)Peritos da PF examinaram o local

Investigação é da civil

A participação dos peritos federais não quer dizer que a investigação tenha saído ou vá sair da esfera da Polícia Civil. A perícia federal está prestando um apoio, principalmente porque dispõe de uma aparelhagem mais moderna da qual não dispõe ainda a Secretaria de Segurança Pública do Estado.

Imagem: Wanessa Gommes/GP1Carro dos peritos da PF(Imagem:Wanessa Gommes/GP1)Carro dos peritos da PF

O Instituto de Criminalística do Piauí também permanece no trabalho e deverá apresentar seus laudos até o final do prazo legal para conclusão do inquérito, que é de 30 dias podendo ser renovado por mais 30.

O delegado Paulo Nogueira já está de posse dos dois celulares encontrados, um dentro do carro, aparelho Nokia preto intacto e outro um pouco retorcido que se encontrava num dos bolsos de Fernanda. Foi no primeiro Celular que o delegado Mamede Rodrigues, então presidente do inquérito, encontrou a mensagem que os investigadores consideraram suspeita e recebida às 7h03min42seg da manhã em que Fernanda foi encontrada morta.

O delegado também esperava a chegada de imagens do percurso feito por Fernanda do bar do Pernambuco, na Avenida Miguel Rosa, zona norte, até o local onde foi encontrado o Uno último modelo de sua propriedade.Essas imagens, segundo funcionário da Strans, se captaram alguma coisa, não são contínuas pois os equipamentos só registram quando há despeito aos semáforos.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Bacharel em Direito, Feitosa Costa é jornalista desde 1977 e escreve a Coluna Política & Bastidores. Contato: (86) 98162 1515 / 99987 8114

Arquivo

    VEJA MAIS