Prefeita Maria Neta é acusada de compra de votos

- atualizado

A coligação “Juntos com o Povo, Mudança Já”, encabeçada pelo candidato a prefeito de Angical, Jorge Lopes, protocolou no dia 11 de novembro, duas ações contra a prefeita reeleita Neta Santos e sua vice, Debora Vilarinho. São ações que mostram uma série de supostas práticas ilícitas eleitorais praticados pela gestora e por pessoas diretamente ligadas à sua campanha eleitoral, denunciando abuso de poder econômico e político, além da compra de votos.

O primeiro processo trata de uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral, onde são apontadas várias condutas ilícitas praticadas por Neta Santos durante o processo eleitoral, como a inauguração de um Posto de Saúde no em período que é proibido a participação de candidatos à inauguração de obras públicas, trata-se de conduta vedada que pode acarretar a cassação do diploma.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Tribunal Regional EleitoralTribunal Regional Eleitoral

Há também acusação de abuso de poder econômico através da promoção de show artístico com banda de forró no aniversário da cidade, no dia 23 de julho, com utilização de recursos públicos, sem o devido processo licitatório, além de um vídeo de eleitor confirmando a compra de voto realizada por Paulo Márcio, que é filho da prefeita.

O que se ressalta de mais grave na acusação deste processo é a suposta compra de votos com recursos da educação, onde motoristas que foram demitidos pelo poder público, em razão do ingresso de concursados, mas receberam dinheiro público diretamente das mãos da tesoureira para permanecerem em casa sem nenhuma atividade funcional, caracterizando a compra de votos durante a corrida eleitoral.

A segunda ação eleitoral é uma Representação por Captação Ilícita de Sufrágio (compra de votos), na qual é relatada a compra de votos através da promessa de emprego a alguns eleitores e entrega de dinheiro em troca do voto. Nos autos do processo estão anexados documentos que comprovam os possíveis ilícitos eleitorais.

As duas ações eleitorais podem acarretar a cassação do diploma da prefeita Neta Santos e de sua vice Debóra Vilarinho. Provado os ilícitos eleitorais, serão anulados os votos e será marcada uma nova eleição no Município de Angical do Piauí. Os processos tramitam na 84ª Zona, sob a relatoria do juiz eleitoral Raniere Santos Sucupira.

Outro lado

Procurada pelo GP1 na tarde desta quarta-feira (16), a prefeita Maria Neta não foi localizada para comentar o caso.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Rauristênio Bezerra é jornalista, economista e advogado. Contato: (86) 99407 2208

Arquivo

    VEJA MAIS