Progressistas preparam revide ao governador Wellington Dias

- atualizado

Convocados pelo seu líder máximo, Ciro Nogueira, para uma reunião na sua casa às 8 horas da manhã de hoje com prefeitos, deputados e vereadores, os Progressistas, "nocauteados" pelo governador Wellington Dias na composição do secretariado, tendem a assimilar e deixar o revide para 2021, quando, acreditam que terão um número muito maior de prefeitos e vereadores eleitos em todo o estado.

Por enquanto, segundo confidência um dos seus mais importantes dirigentes, a posição a ser tomada é a de aceitar as indicações, procurar resolver a "questão Mainha" e deixar confirmado que terão candidato a governador em 2022.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Wellington Dias e Ciro NogueiraWellington Dias e Ciro Nogueira

Os dirigentes progressistas, segundo a mesma fonte, têm consciência de que o governador, na composição do secretariado, procurou, com o pensamento em 2022, "desidratar" o partido, negociando individualmente com deputados que foram indicados secretários sem o aval da direção partidária, composta por Wilson Brandão, Hélio Isaías e Firmino Paulo.

Houve até uma situação emblemática dessa linha de raciocínio: quando Wellington chamou Hélio Isaías, ouviu do governador que a Secretaria de Transportes seria para ele, Hélio, ou para uma pessoa realmente sua. O deputado acabou indicando a irmã.

EXCLUSIVAS

A cidade pede socorro

Os teresinenses mais preocupados com a beleza e o histórico da cidade pedem socorro. A deformação da capital do Piauí, por uma birra de quem se julga mais inteligente do que a maioria, é uma vergonha para quem pode fazer alguma coisa para impedir e fica calado.

Lei da subserviência e conveniência

Neste momento em que símbolos da estética e da história da cidade como Avenida Kennedy, Miguel Rosa e Barão de Gurgueia são mutilados sob a vergonhosa submissão e conveniência de quem deveria fazer alguma coisa, o cidadão que ama a sua cidade e seus costumes se sentem tristes e impotentes.

Chega de arrogância

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Firmino Filho Firmino Filho

Chega de tanta arrogância imposta à razão e à verdade. Esse projeto do Sr. Firmino é um monstrengo e servirá para que ele, tão draconiano nos dias de hoje ocupe mais na frente o seu legítimo lugar na história ao lado dos seus bajuladores e daqueles que deixam de cumprir sua missão verdadeira por causa de velhos costumes de uma elite que nunca deixou de se achar superior aos outros.

Adeus, Wall

Guindado ao secretariado municipal por Wall Ferraz, um professor de história que onde estiver certamente não aprova o que se faz hoje com Teresina. A administração do Sr. Firmino nem de longe tem a visão humanística do seu criador.

Bichim bom de governo!

  • Foto: Hélio Alef/GP1Osmar JúniorOsmar Júnior

De um ex-deputado estadual espirituoso como poucos no Piauí sobre Osmar Junior, secretário de Governo: "o Osmar é gente muito boa, inteligente, esperto, bom amigo...mas nunca vi bichinho comunista para gostar de Governo mais do que ele".

Passa a régua, como diz o Pedro Alcântara desde os tempos do jornal O Estado.

Faltou humildade

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Paulo MartinsPaulo Martins

Amigos que trabalharam firme na campanha do ex-prefeito Paulo Martins para deputado estadual, comentam pedindo segredo, que lhe faltou humildade, acima de tudo. "Só quem estava certo era ele, não ouvia ninguém", comentou um deles.

Queria ser o prefeito

Os mesmos amigos dizem que Paulo Martins, que ficou na nona suplência “nunca deixou o pobre do Ribinha (atual prefeito de Campo Maior indicado por Martins ) administrar a cidade, se metia em tudo, humilhando o rapaz".

Sarney candidato

Pode ser o ex-deputado federal Sarney Filho, atual secretário no Distrito Federal, um dos candidatos da oposição ao Governo do Maranhão em 2022.

Quem é de Assis?

  • Foto: Helio Alef/GP1Deputado Assis CarvalhoDeputado Assis Carvalho

Até agora não ficou claro sobre qual órgão do Governo do Estado o deputado Assis Carvalho, presidente estadual do PT, exercerá alguma influência.

Na área de saúde não é!

Tradicionalmente nos governos de Wellington Dias, Assis Carvalho exercia muita influência na área de saúde. Desta vez, pelo cenário que se descortina, não é.

Na Fundação Hospitalar não é porque lá a influência é do deputado emedebista e picoense Pablo Santos.

Na Secretaria de Saúde também não é porque por lá ficou Florentino Neto, de quem Assis queria a cabeça 24 horas por dia.

Olha eu aqui

  • Foto: Cinara Taumaturgo/GP1Secretário de Justiça, Daniel Oliveira Secretário de Justiça, Daniel Oliveira

Catapultado da Secretaria de Justiça do Estado, o advogado Daniel Oliveira, segundo ex-assessores de quem ele não ouvia conselhos, agora "está fazendo de tudo para ser notado".

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Bacharel em Direito, Feitosa Costa é jornalista desde 1977 e escreve a Coluna Política & Bastidores. Contato: (86) 98162 1515 / 99987 8114