Secretaria de Saúde do Piauí vai comprar remédios de empresas investigadas pela Controladoria Geral

Após o governador Wilson Martins mandar investigar, em janeiro de 2011, possíveis irregularidades na compra de quase 3 milhões de reais em medicamentos feita nas empresas Cirúrgica Comercial Vida Ltda, Distrimed Comércio e Representações Ltda, Gerafarma Distribuidora e Representações Ltda, Remac – Odontomédica Hospitalar Ltda, Serrafarma Distribuidora de Medicamentos e Expressa Distribuidora de Medicamentos Ltda, através do Registro de Preços da Coordenadoria de Controle das Licitações e que tiveram por base o pregão nº 96/2009, a Secretaria de Saúde divulgou no Diário Oficial de 08 de novembro a compra de quase 10 milhões de reais em medicamentos, sem licitação e “em caráter de urgência” contemplando algumas empresas que estão inseridas na investigação que tem por base o relatório nº 36/2010 da Controladoria Geral do Estado, como é o caso da Remac Odontomédica Hospitalar Ltda que vai vender R$ 713.301,00, Expressa Distribuidora de Medicamentos Ltda , R$ 914.383,00 e a Serrafarma Distribuidora de Medicamentos que vai vender R$ 1.765.810,00. Dá pra entender?

Uma pergunta: será que não houve tempo em quase um ano de governo para se fazer esta licitação? O porque da inexigibilidade? Na verdade estas dispensas de licitação tá cheirando a Ministério Público.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Herbert Sousa é jornalista. Contato: (86) 9 8806-8907 / (86) 9 9436-9811