Secretária fantasma já embolsou indevidamente R$ 138 mil

Várias denúncias são enviadas constantemente para minha caixa de e-mail, e uma me chamou atenção pela sua gravidade, pois a mesma revela um “rio de lama”, envolvendo administração do município de União. Há denúncia de contratação de servidores fantasma, de compras sem o devido processo licitatório, enfim, o prefeito vem fazendo um verdadeiro leilão com os principais cargos da prefeitura e distribuindo entre os amigos e parentes (nepotismo).

Entre os principais nomes envolvidos neste esquema fraudulento está o nome da cunhada do vereador Júnior Viana (PP), que é considerado como sendo o vereador mais agraciado do esquema do prefeito, O parlamentar em questão usando do seu prestigio junto ao gestor municipal, indicou a esposa do seu irmão, Marilene Borges de Araújo, na Secretaria Virtual de Desenvolvimento Econômico e Empreendedorismo, com justo salário de R$ 4.00,00 (quatro mil reais) mensais.

Imagem: Aldo MeloFolha de Pagamento PMU-agosto 2015(Imagem:Aldo Melo)Folha de Pagamento PMU-agosto 2015
A citada secretária assumiu seu importante cargo no dia 16 de julho de 2013, de lá pra cá, ela já embolsou indevidamente a bagatela de R$ 138.000,00 (cento e trinta e oito mil), sem prestar um dia serviço na prefeitura de União. A zelosa secretária, no horário que ela deveria está trabalhando, para justificar o seu salário de marajá, ela fica diariamente no comercio do seu esposo, localizado no centro de União.

Para completar o rol de mistérios e irregularidades que envolvem a gestão do prefeito Gustavo Medeiros, eu também encontrei vários recibos que comprovam a venda de mercadorias para prefeitura local, feita através da loja do esposo da secretária Marilene Borges de Araújo. Tal conduta é a mesma do secretário de Administração, Bruno Marinho, que vende de tudo para prefeitura.
Imagem: Aldo MeloSão vários recibos como este que aparecem nos balancetes da PMU.(Imagem:Aldo Melo)São vários recibos como este que aparecem nos balancetes da PMU.
Essas e outras denúncias estão sendo encaminhadas ao Ministério Público Estadual e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), para que sejam tomadas providências contra esta sangria nos cofres da prefeitura de União.
Imagem: Lucas Dias/GP1TCE(Imagem:Lucas Dias/GP1)TCE


Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Aldo Melo é radialista desde 1992. Notícias do município União - PI. Contato: (86) 99447-1977 / (86) 99958-5374

Arquivo

    VEJA MAIS