GP1

Coronavírus no Piauí

Vereador é acusado de furar fila da vacina em Simplício Mendes

Em nota, o vereador Waltemberg Veloso afirmou que é agente de vigilância epidemiológica e atua na linha de frente do combate à covid-19.

Desde o início da imunização contra covid-19, o GP1 vem recebendo inúmeras denúncias de que algumas pessoas teriam “furado a fila” da vacina. Um caso recente foi o do vereador do município de Simplício Mendes, Waltemberg Veloso (Progressistas), mais conhecido como Ferrim.

Segundo um morador de Simplício Mendes que preferiu não se identificar, algumas pessoas furaram a fila da vacina na cidade, dentre elas, o vereador. “Tem dentista que já se vacinou, donos de clínicas particulares, recepcionistas, que não são da zona de risco, não trabalham no enfrentamento à covid-19”, colocou.

O morador disse que abriu manifestação no Ministério Público para que sejam adotadas as devidas providências. “Esse vereador furou a fila, se vacinou e acabou soltando uma nota, mas ele é vereador, não está no combate à covid-19. Abri uma manifestação no Ministério Público passando essa informação”, relatou.

Outro lado

O vereador Wlatemberg Veloso publicou nota de esclarecimento em suas redes sociais, explicando que faz parte do grupo prioritário. Ele afirma que trabalha na rede de saúde da cidade na linha de frente do combate ao novo coronavírus.

Na publicação, ele anexou documentos que atestam seu vínculo com a rede de saúde. “O vereador Wlatemberg Veloso (Ferrim), esclarece a população de Simplício Mendes, que faz parte do grupo de profissionais de saúde que está sendo vacinado contra covid-19, por ser funcionário efetivo no cargo de Agente de Vigilância Epidemiológica, lotado no Departamento de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Simplício Mendes”, diz um trecho da nota.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.