GP1

Mundo

Ataque a tiros mata 14 crianças e um professor em escola no Texas

O atirador do Texas tinha um revólver e possivelmente um fuzil e agiu sozinho durante o ataque.
Por Estadão Conteúdo

Um homem armado abriu fogo em uma escola infantil da cidade de Uvalde, no Texas, e matou ao menos 14 crianças e um professor na tarde desta terça-feira, 24. Trata-se do ataque mais mortal em uma escola primária dos Estados Unidos desde o massacre da Sandy Hook Elementary, Connecticut, em 2012.

Segundo a CNN, o atirador foi identificado como Salvador Ramos, de 18 anos. Ele também foi morto no local. O governador do Texas, Greg Abbott, afirmou que ele era aluno do ensino médio de uma escola próxima.

Também há informações de que ele atirou na avó antes de se dirigir ao local onde realizou os disparos -- criando outra conexão com o massacre de Sandy Hook, no qual o assassino matou a mãe antes de ir para a escola e matar 20 crianças e 6 adultos.

O atirador do Texas tinha um revolver e possivelmente um fuzil e agiu sozinho durante o ataque, disse a polícia. O novo massacre acontece menos de duas semanas depois que um atirador abriu fogo em um supermercado em Buffalo, em Nova York, e matou 10 negros em um episódio descrito pelas autoridades como um crime racista.

As autoridades médicas do Texas informaram inicialmente que as crianças foram socorridas após o tiroteios e transportadas feridas ao Uvalde Memorial Hospital com vida. Abbott disse posteriormente que 14 delas morreram. “Ele atirou e matou horrivelmente, incompreensivelmente, 14 alunos e matou um professor”, disse Abbott.

Segundo o executivo-chefe do Uvalde Memorial Hospital, Tom Nordwick, as crianças tinham entre 8, 9 e 10 anos. O hospital recebeu 15 pessoas após o ataque, dos quais 11 eram crianças. Duas deklas, um menino e uma menina, morreram na chegada. Quatro foram liberadas; outras cinco crianças e um adulto, transferidos para San Antonio, capital do Texas.

Outro hospital, o University Health, em San Antonio, a 120 quilômetros de Uvalde, afirmou que atendeu uma criança e um adulto vítimas do tiroteio. O adulto é uma mulher de 66 anos e a criança é uma menina de 10 anos, que estavam em estado crítico.

A escola, que é frequentada por alunos da segunda à quarta série, pediu aos pais que não busquem os filhos até que todas as crianças tenham sido contabilizadas. “Por favor, não pegue os alunos neste momento. Os alunos devem ser contabilizados antes de serem liberados para sua responsabilidade. Você será notificado para pegar os alunos assim que todos estiverem contabilizados”, informa no site.

O tiroteio aconteceu por volta das 11h30 do horário local e o atirador estava sob custódia pouco depois das 13h, segundo informou Departamento de Polícia de Uvalde. Mais detalhes sobre como aconteceu o ataque ainda são desconhecidos.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, foi avisado do ataque e ordenou que as bandeiras dos Estados Unidos fossem abaixadas em prédios federais em luto às vítimas. O anúncio da Casa Branca afirma que o gesto é “uma marca de respeito às vítimas dos atos de violência sem sentido perpetrados em 24 de maio de 2022 por um atirador na Robb Elementary School em Uvalde, Texas”. Biden deve se pronunciar em breve.

O Distrito Escolar Independente Consolidado de Uvalde disse no Twitter que houve um “atirador ativo” na escola por volta do meio-dia. O distrito escolar disse que designou o Centro Cívico DeLeon, a cerca de um quilômetro e meio da escola, como um local de reunificação para os pais buscarem seus filhos.

Uvalde é uma cidade de cerca de 16 mil pessoas localizada a cerca de 120 quilômetros da fronteira dos Estados Unidos com o México. A Robb Elementary fica em um bairro predominantemente residencial de casas modestas. Há uma casa funerária do outro lado da rua da escola.

Ataque é o mais mortal dos Estados Unidos este ano

O ataque em Uvalde, no Texas, também se tornou o mais mortal deste ano nos Estados Unidos. O número de 15 vítimas superou os 10 mortos do ataque no supermercado de Buffalo, em Nova York, no que foi um dos massacres racistas mais mortais do país norte-americano nos últimos anos.

A diferença temporal entre os dois massacres é de 10 dias. Os funerais das vítimas de Buffalo começaram na semana passada, com uma série de manifestações da comunidade negra da cidade pedindo que o racismo seja combatido com soluções sistêmicas, investimentos econômicos e programas de saúde mental de longa duração.

Autoridades acreditam que o ataque de Buffalo teve motivações racistas. Um manifesto online atribuído ao suspeito foi postado antes do tiroteio e revelou que o atirador estava fascinado por uma teoria supremacista branca conhecida como ‘teoria da substituição’ e acreditava que os americanos brancos seriam substituídos por imigrantes e negros. Ato semelhante aconteceu em El Paso, Texas, em 2017.

No dia seguinte ao ataque de Buffalo, um homem de 68 anos abriu fogo contra uma congregação taiwanesa em Laguna Woods, na Califórnia. O ataque deixou um morto e um ferido. As autoridades afirmam que o crime foi motivado por “um ódio político”.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.