GP1

Mundo

Ao menos 14 pessoas morrem após míssil russo atingir prédio residencial

Segundo a Ucrânia, um míssil destruiu um prédio de nove andares e outro atingiu um centro de recreação.
Por Estadão Conteúdo

Pelo menos catorze pessoas morreram em um ataque com mísseis russos no distrito de Bilhorod-Dnistrovski, na região ucraniana de Odessa, no sudoeste do país, de acordo com o serviço de emergência citado pela agência local Ukrinform.

Segundo este serviço, no ataque, outras 30 pessoas ficaram feridas, incluindo três crianças. Outras sete pessoas foram resgatadas dos escombros.

Em sua página no Facebook, o Serviço de Emergência Ucraniano confirmou o ataque com foguete que ele atribuiu aos militares russos. “14 pessoas morreram no ataque com foguetes. Outras 30 ficaram feridas, incluindo três crianças. Empregados do Serviço de Emergências do Estado também conseguiram resgatar sete pessoas, incluindo três crianças, debaixo dos escombros”, disse em sua mensagem nas redes.

Ele observou que “aeronaves estratégicas russas voando sobre o mar Negro lançou um ataque de mísseis na região de Odessa.” Segundo a fonte, “um míssil atingiu um edifício residencial de nove andares e outro em um centro de recreação no bairro de Bilhorod-Dnistrovski”.

Uma parte do edifício mencionado foi completamente destruído. A região de Odessa, cuja capital de mesmo nome tem o único porto marítimo da Ucrânia que os russos ainda não controlam, é fronteira com a Moldávia e a Roménia.

Os russos limitaram até agora os seus ataques nesta área e se concentraram em destruir a infraestrutura que une a região com as suas fronteiras europeias.

Este ataque ocorre um dia após a celebração em Madrid da Cimeira da OTAN em que os aliados reforçaram o seu apoio à Ucrânia e sua rejeição da invasão que está sofrendo de Moscou, a quem eles consideram o maior perigo para o Ocidente.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.