GP1

Mundo

Mulher detida por racismo contra filhos de Gio Ewbank é liberada, diz jornal

O episódio de racismo aconteceu em um restaurante, na Costa Caparica, em Portugal, nesse sábado (30).

A mulher que foi detida, em Portugal, acusada de racismo contra os filhos dos atores Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso, Bless e Títi, no sábado (30), já está em liberdade. O caso aconteceu em um restaurante na Costa Caparica. As informações são do jornal português ‘Público’.

Segundo o jornal, a Polícia confirmou que a mulher foi detida sob efeito de álcool e que há testemunhas que comprovam os insultos denunciados pelo casal brasileiro.

Foto: Reprodução/InstagramGiovana com o marido e os filhos
Giovana com o marido e os filhos

A assessoria do casal de atores confirmou o incidente e que a mulher teria falado para tirar "aqueles pretos imundos dali", referindo-se a Títi e Bless e também a uma família de turistas angolanos que estava no restaurante.

O caso ganhou bastante repercussão na imprensa. Em nota divulgada pelo casal, a assessoria confirmou que eles vão registrar uma queixa formal contra a mulher.

O comunicado diz que a atriz e apresentadora Giovanna Ewbank se revoltou e "enfrentou a mulher" após o episódio de racismo sofrido por seus filhos no litoral europeu enquanto Bruno Gagliasso chamava a polícia.

Confira a nota divulgada pela assessoria do casal

"Comunicamos que os filhos do casal Giovanna Ewbank e Bruno Gagliasso foram vítimas de racismo no restaurante Clássico Beach Club, na Costa da Caparica, em Portugal, neste sábado, dia 30 de julho, onde a família passa férias. Uma mulher branca, que passava na frente do restaurante, xingou, deliberadamente, não só Títi e Bless, mas também a uma família de turistas angolanos que estavam no local - cerca de 15 pessoas negras. A criminosa pedia que eles saíssem do restaurante e voltassem para a África, entre outros absurdos proferidos às crianças, tais quais 'pretos imundos', diz a nota.

Confirmamos, conforme vídeos que já circulam no Brasil, que Giovanna reagiu e enfrentou a mulher, enquanto Bruno Gagliasso, seu marido, chamou a polícia. A mulher foi levada, escoltada e presa. Informamos ainda que Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank prestarão queixa contra a racista formalmente na delegacia portuguesa. A Trigo Casa de Comunicação lamenta as agressões sofridas por Títi, Bless e os turistas angolanos e apoia integralmente as ações tomadas por Giovanna e Bruno. Racismo é crime", conclui.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.