GP1

Mundo

Indiana é o primeiro estado dos EUA a restringir aborto

A aprovação da lei ocorreu apenas três dias depois que os eleitores do Kansas rejeitaram o aborto.
Por Estadão Conteúdo

Indiana se tornou o primeiro dos 50 estados do EUA a aprovar uma lei para restringir o acesso ao aborto após a Suprema Corte anular a decisão de 1973, conhecida como Roe versus Wade. A proibição quase total do aborto foi aprovada pelos legisladores e assinada pelo governador de Indiana, o republicano Eric Holcomb, nesta sexta-feira, 5.

A aprovação da lei ocorreu apenas três dias depois que os eleitores do Kansas, outro estado conservador do Meio-Oeste, rejeitaram de forma esmagadora uma emenda que retiraria as proteções ao direito ao aborto de sua constituição estadual.

A proibição, que entra em vigor em 15 de setembro, inclui algumas exceções. Abortos seriam permitidos em casos de estupro e incesto, antes de 10 semanas pós-fertilização; proteger a vida e a saúde física da mãe; e se um feto for diagnosticado com uma anomalia letal.

Vítimas de estupro e incesto não seria obrigado a assinar uma declaração juramentada em cartório atestando um ataque, como já havia sido proposto.

De acordo com o projeto, abortos podem ser realizados apenas em hospitais ou ambulatórios centros de propriedade de hospitais, o que significa que todas as clínicas de aborto perderiam seus licenças.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.