Fechar
GP1

Mundo

Turismo na América Latina deve impulsionar US$ 260 bilhões

Setor espera criar 8 milhões de empregos, elevando a contribuição econômica total de viagens.

O turismo na América Latina deve impulsionar a economia regional em US$ 260 bilhões nos próximos 10 anos, com um crescimento estimado de 2,3% ao ano, segundo o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês). Este setor espera criar 8 milhões de empregos neste período, elevando a contribuição econômica total de viagens e turismo para US$ 852 bilhões até 2034 no PIB mundial.

O relatório do WTTC destaca a dependência do turismo latino-americano dos viajantes domésticos, enfatizando a necessidade de melhorias na infraestrutura e nos transportes dos países da região. Em 2023, os gastos internos somaram US$ 417,4 bilhões, representando 82,8% do total de despesas com viagens e turismo na América Latina, enquanto os viajantes internacionais responderam por 17,2%, totalizando US$ 86,5 bilhões, incluindo viagens intrarregionais.

Para 2024, o setor de turismo na América Latina prevê um crescimento de 3,4% em relação a 2023, alcançando US$ 95,3 bilhões. As viagens a lazer dominaram os gastos, compondo 89% do total, enquanto as viagens de negócios representaram apenas 11%. O relatório também destaca que a América Latina está se recuperando melhor que a média mundial.

Julia Simpson, presidente e CEO do WTTC, afirmou que o setor de viagens e turismo da América Latina passou por uma transformação extraordinária nos últimos anos, contribuindo significativamente para a economia regional. A recuperação pós-pandemia está sendo observada com mais força na América Latina em comparação com outras regiões do mundo.


No entanto, países como Suriname e Venezuela ainda enfrentam desafios e devem demorar mais tempo para que o setor de turismo retorne aos níveis anteriores à pandemia.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.