Ciência e Tecnologia

Associação de Defesa do Consumidor encontra inseto morto em café

Testes foram feitos pela Associação de defesa do consumidor Proteste.

Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado

A Associação de Defesa do Consumidor Proteste encontrou um inseto morto em um pacote de café da marca Mellita e pêlos de ratos em embalagem da farinha de trigo Sol. Os resultados da primeira fase de testes de segurança alimentar realizados em amostras de pó de café e farinha de trigo foram divulgados nesta quinta-feira (17).

De acordo com informações do Uol, foram analisadas também outras marcas de café: Caboclo, Pilão e 3 Corações; além de outras três marcas de farinha: Dona Benta, Renata e Rosa Branca. Segundo a Proteste, testes foram feitos com base no regulamento técnico da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece os requisitos mínimos para avaliação de matérias estranhas macroscópicas e microscópicas, bem como seus limites de tolerância.

A legislação aponta que cada produto pode trazer certa quantidade de corpos estranhos. Para o café, por exemplo, são permitidos até 60 fragmentos de insetos em 25g de amostra. Já para a farinha de trigo, são até 75 fragmentos de insetos em 50 g de amostra.

  • Foto: DivulgaçãoCafé Mellita e farinha de trigo SolCafé Mellita e farinha de trigo Sol

A marca Mellita foi a única que não passou no teste. Foi encontrado um inseto inteiro morto em 25 g de amostra. A mostra continha ainda 13 fragmentos de insetos. “Isso mostra que pode ter havido falhas no processo de produção, manipulação ou armazenamento do produto”. Já dentro da embalagem da farinha Sol, continha fragmento de pelo de roedor em 50g de amostra e também fragmentos de insetos, mas em quantidade legal.

A Mellita disse em nota que desconhece os procedimentos utilizados para o teste dos produtos e realiza análises periódicas com laboratórios independentes certificados. “Em nenhum momento foram encontradas as irregularidades divulgadas pelo Instituto Proteste”, informou a marca.

Já a J. Macêdo, fabricante da farinha de trigo Sol, apresentou laudos de laboratório credenciado pela Anvisa que atestam não ter sido identificada nenhuma inconformidade no mês de produção indicado pelo número parcial de lote divulgado pelo Instituo. “A J. Macêdo tem contraprovas dos lotes de produção e já os submeteu a exame em laboratório externo credenciado pela Anvisa, a fim de resguardar e dar a seus consumidores a garantia de seu rigor em relação aos seus procedimentos de fabricação”.

Mais conteúdo sobre: