Mundo

Casa de Leopoldo López é invadida e roubada em Caracas

Segundo a mulher do líder opositor, agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin), órgão ligado ao chavismo, teriam invadido a casa do líder opositor venezuelano.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

A casa do líder opositor venezuelano Leopoldo López foi invadida e roubada na última quarta-feira, 1º, por vários homens que, segundo a mulher de López, Lilian Tintori, eram agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin), órgão ligado ao chavismo.

"Foi o Sebin, o Sebin mau, pois há agentes patriotas que querem a liberdade da Venezuela", afirmou Lilian pouco depois de entrar no imóvel. Ela e López estão na residência do embaixador da Espanha em Caracas, Jesús Silva Fernández. Segundo o governo do país, eles não pediram asilo político.

  • Foto: DivulgaçãoJuan Guaidó e Leonardo LopezJuan Guaidó e Leopoldo Lopez

Preso em 2014, López cumpria desde 2017, sob prisão domiciliar, uma sentença de quase 14 anos de regime fechado, por incitar protestos violentos contra o governo Maduro. Ele afirma que foi libertado na madrugada de terça, 30, por um grupo de militares e funcionários do Sebin que tinham se unido ao líder do parlamento da Venezuela, Juan Guaidó, autoproclamado presidente interino do país.

Ao lado de Guaidó, López participou do levante nos arredores da base aérea de La Carlota e convocou os manifestantes a tomarem as ruas do país para forçar a saída de Nicolás Maduro do poder.

Ao entrar pela primeira vez no imóvel, revirado supostamente pela ação do Sebin, Tintori mostrou surpresa."Não sei por que eles vieram. Eles já sabiam, o regime, a ditadura, que Leopoldo não estava aqui. Leopoldo foi libertado de forma constitucional, de forma legal, na madrugada de ontem, e saiu de casa cercado pelas Forças Armadas e pelo Sebin", afirmou. "Roubaram as TVs, equipamentos de som, todos os aparelhos eletrônicos, computadores, até as mamadeiras da minha filha Federica", disse Tintori, citando a filha do casal, de 1 ano.

Os livros da biblioteca de López estavam todos no chão. Os demais cômodos também foram revirados. No quarto do casal, as roupas estavam todas espalhadas. "Não sei o que eles ganham com isso. Eles entraram aqui de forma ilegal, como se fossem ladrões. Maduro enviou ladrões para entrar em nossa casa porque ele é um ladrão, um corrupto, um ditador, uma pessoa que destruiu um país que tem fome e a pior crise da história", disse a esposa do opositor venezuelano.

Tintori afirmou que patrulhas do Sebin continuavam nos arredores do imóvel. Segundo ela, outros agentes também a seguiram da residência do embaixador até o local. "Eles querem perseguir os que estão lutando pela liberdade. É difícil. Vou arrumar cada coisa que eles quebraram e colocar no lugar cada coisa que foi retirada. Essa casa é firme como a Venezuela", disse Tintori.

Perguntada sobre as previsões para o futuro da Venezuela no curto prazo, a esposa de Leopoldo López disse que a oposição irá conseguir o "fim da usurpação" que considera que Maduro faz do poder. "As pessoas estão muito cansadas na Venezuela, mas estamos cheios de esperança. As pessoas estão com vontade de superar essa ditadura, essa adversidade que as famílias estão superando diferentes formas. Todos enfrentaram algo difícil, mas vamos superar", concluiu.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Crise na Venezuela pode elevar preços de petróleo, diz Bolsonaro

Planalto diz que 25 militares da Venezuela pediram asilo à embaixada

Probabilidade de apoiar EUA a entrarem na Venezuela é pequena, diz Planalto

Mais conteúdo sobre: