Teresina - PI

Conselho Federal aprova por unanimidade contas da OAB Piauí

Anualmente, as contas da OAB-PI são apresentadas ao Conselho Pleno e ao Conselho Federal.

Débora Dayllin
Teresina
- atualizado

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) aprovou por unanimidade as contas da OAB-PI relativas ao ano de 2016, na última segunda-feira (12). O relator foi o conselheiro federal Maurício Gentil Monteiro (SE). Após análise, os autos do processo foram aprovados pelos membros da Terceira Câmara do Conselho Federal da OAB, observado o quórum exigido no art. 92 do Regulamento Geral.

Para o presidente da OAB-PI, Chico Lucas, a aprovação reforçou o cuidado com a administração dos recursos da seccional piauiense. “Temos consciência da importância de zelar pelo valor que cada advogado e advogada dedica à OAB, fortalecendo a classe. É nosso dever retribuir com trabalho e transparência, ter as contas aprovadas é uma prova concreta disso”, afirmou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Presidente da OAB, Chico LucasPresidente da OAB, Chico Lucas

Para o advogado, o Brasil vive um cenário de dificuldades econômico-financeiras. “Apesar das dificuldades financeiras, a OAB/PI não reduziu os benefícios já conquistados pela advocacia piauiense, pois entende que a advogada e o advogado não podem ser penalizados pela crise. Destaque-se ainda que a gama de serviços oferecidos pela OAB/PI cresceu exponencialmente, sempre em benefício da advocacia. Outro ponto de destaque é o aumento do repasse de recursos para as Subsecções, visando conferir maior autonomia financeiro-administrativa aos colegas do interior do Estado”, lembrou Chico Lucas.

Anualmente, as contas da OAB-PI são apresentadas ao Conselho Pleno e ao Conselho Federal. Num primeiro momento, são analisadas pelo Conselho Seccional e, após análise e aprovação, remetidas ao Conselho Federal, onde são submetidas ao crivo da 3ª Câmara daquele órgão. Durante a análise, os órgãos podem pedir tantos esclarecimentos quantos se fizerem necessários.

TRF-1

No dia 23 de maio deste ano, o desembargador Marcos Augusto de Sousa, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, defiriu pedido para que a Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Piauí (OAB-PI), apresentasse os contratos, notas fiscais e demais documentos que compõem a prestação de contas do ano de 2016.

Mais conteúdo sobre: