Teresina - PI

Delegado vai pedir prisão preventiva de acusado de matar capitão Adonias

Mateus foi preso, na Vila Mocambinho, zona norte de Teresina, no dia 5 de agosto, em cumprimento a mandado de prisão temporária expedido pelo juiz da Central de Inquéritos.

Wanessa Gommes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina

O delegado Walter Cunha, da Delegacia de Polícia Interestadual (Polinter), vai pedir nessa quarta-feira (12), a conversão da prisão temporária em preventiva de Mateus Rikelme dos Santos Matos, 18 anos, acusado de participar do latrocínio (roubo seguido de morte) praticado contra o capitão da Polícia Militar do Piauí, Adonias Pedreira dos Santos Lopes.

Mateus foi preso, na Vila Mocambinho, zona norte de Teresina, no dia 5 de agosto, em cumprimento a mandado de prisão temporária expedido pelo juiz da Central de Inquéritos.

A informação foi confirmada pelo delegado durante entrevista ao GP1, nesta terça-feira (11), que contou ainda que a investigação já está concluída. Além de Mateus, dois menores foram apreendidos suspeitos de participação no crime. “Amanhã vou pedir a conversão da temporária em preventiva, ela tem 30 dias, mas como a prova já está toda constituída, vou pedir a conversão e na semana que vem já entrego o inquérito pronto”, afirmou a autoridade policial.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppCapitão AdoniasCapitão Adonias

Ainda de acordo com o delegado, a investigação apontou que os dois disparos que atingiram o capitão foram efetuados por um dos menores.

Ele relatou ainda que antes do crime, os três acusados lancharam numa praça próximo do Hospital Areolino de Abreu. “Eles relataram que estavam lanchando quando visualizaram ele [Adonias] distraído, conversando e o abordaram com o intuito de roubar a moto, mas viram a oportunidade de roubar a arma também”, declarou o delegado Walter Cunha.

“Eles não sabiam que ele estava armado, foi uma coincidência”, disse o delegado, que completou informando que a arma não foi localizada.

O crime

O capitão Adonias foi baleado durante um assalto, na noite do dia 24 de julho, no bairro Primavera, zona norte de Teresina. Ele reagiu ao assalto e foi alvejado com dois disparos de arma de fogo, um na cabeça e outro no braço. O policial foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado em estado grave ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT). No entanto, após 12 dias internado, o capitão não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Em entrevista ao GP1, um dos filhos do capitão Adonias relatou que seu pai havia apresentado melhora no quadro clínico, mas estava movimentando apenas o lado esquerdo do corpo. “Ele deu entrada no dia 24 e teve uma melhora, estava respirando sem ajuda de aparelhos, mexendo o lado esquerdo do corpo e o lado direito estava paralisado, mas na noite de ontem, por volta de 23h, ele teve uma parada cardiorrespiratória e não retornou, veio a óbito”, disse Rafael.

Mateus foi preso, na Vila Mocambinho, zona norte de Teresina, no dia 5 de agosto, em cumprimento a mandado de prisão temporária expedido pelo juiz da Central de Inquéritos. No dia seguinte, dois menores foram apreendidos suspeitos de participação no crime.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de assalto é capturado pela Polícia Civil no Parque Alvorada

Polinter prende acusado de assassinar o capitão Adonias Pedreira

Capitão da Polícia Militar baleado durante assalto morre no HUT

Capitão da PM é baleado durante assalto no bairro Primavera