Teresina - PI

Diretor do HUT Gilberto Albuquerque pede prudência no trânsito

Somente este ano, o Hospital já atendeu 9.771 vítimas de acidentes de trânsito, dentre as quais, 8.160 eram vítimas de acidentes com motocicletas.

- atualizado

A mistura álcool e direção continua fazendo muitas vítimas no trânsito. Preocupado com o aumento constante no número de atendimento de vítimas de acidentes de trânsito o diretor geral do Hospital de Urgência de Teresina (HUT), Gilberto Albuquerque, pede mais prudência aos motoristas durante as festas de fim de ano.

O atendimento de vítimas de acidentes envolvendo motocicletas é o primeiro motivo de entrada no HUT e nesses períodos festivos costuma aumentar em torno de 30%. Somente este ano, o Hospital já atendeu 9.771 vítimas de acidentes de trânsito, dentre as quais, 8.160 eram vítimas de acidentes com motocicletas.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Diretor do HUT, Gilberto AlbuquerqueDiretor do HUT, Gilberto Albuquerque

Por mês o HUT realiza mais de mais de seis mil atendimentos e mil cirurgias. Somente este ano, o HUT realizou 46 mil atendimentos e mais de 12 mil cirurgias. Como primeiro motivo de procura por atendimento os acidentes com motocicletas representam 17% do total, seguido por mal súbito e dor no olho. Segundo o diretor do HUT, apesar dos carros estarem cada vez mais seguros e inteligentes para evitar acidentes, não é isso que se tem observado, pois os acidentes e suas vítimas estão cada vez mais graves.

“O motorista precisa compreender que qualquer decisão errada pode causar um acidente ou até a sua morte. Ele deve prever o perigo, isso é direção defensiva que pode salvar muitas vidas. Os motociclistas devem usar os EPI´s para que as lesões sejam minimizadas durante um possível acidente. Misturar álcool e direção é a pior escolha que um motorista ou motociclista pode fazer, pois ele assume os riscos de tirar a própria vida e de outras pessoas”, alertou Gilberto Albuquerque.

Um levantamento feito este ano pelo setor de estatística do HUT revelou que, em média, 45% dos traumatismos cranianos atendidos no hospital eram de vítimas de acidentes com motocicletas. Segundo Gilberto, esse número mostra que a maioria das vítimas não estava usando capacete na hora do acidente. “Este ano já atendemos 1.268 pessoas vítimas de traumatismo craniano. Se considerarmos que quase a metade foram pessoas vítimas de acidentes com motocicletas, esse dado se torna bastante preocupante”, destacou.

Mais conteúdo sobre: