Várzea Branca - PI

Dona de casa registra B.O contra o prefeito Cuim por agressão

A denunciante disse que tudo aconteceu depois que o gestor não encontrou na parede da casa da vítima cartazes do candidato apoiado por ele.

Germana Chaves
Teresina
Raisa Brito
Chefe de Redação
- atualizado

Uma dona de casa identificada como Eloísa da Silva Santos registrou um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Defesa dos Direitos da Mulher de São Raimundo Nonato, na manhã deste sábado (24), contra o prefeito de Várzea Branca (PI), Idevaldo Ribeiro da Silva, popularmente conhecido como ‘Cuim’, nessa sexta-feira (23) por agressão física. De acordo com a vítima, a confusão teve início depois que o prefeito Idevaldo chegou a sua residência e não encontrou na parede cartazes do candidato a prefeito apoiado por ele, Clayton Fábio, que é sobrinho do gestor.

Durante entrevista ao GP1, Eloísa disse que explicou ao prefeito que os cartazes não estavam mais colados depois de uma chuva que acabou danificado o material. Ainda conforme a denunciante, o estopim para a agressão ocorreu depois que aconselhou uma de suas irmãs, que estava presente, a não votar em Clayton Fábio por não ter recebido uma quantia em dinheiro que havia sido prometida por Idevaldo.

“Ele [Cuim] veio mais a esposa dele, Francilene [de Oliveira Santos]. Eu estava na casa da Regina [irmão da vítima] aí ele encostou em minha casa e eu fui receber ele. Quando eu cheguei falei com ele, dei boa tarde e ele já veio com agressão, perguntando o porquê de eu ter arrancado as fotos [cartazes de Clayton Fábio]. Falei: ‘aqui choveu e deu um vento aí molhou e arrancou as fotos’. Ele [Cuim] ficou puxando a minha mão com agressão”, narrou a vítima.

“Minha irmã Carliana estava com ele na hora, ela falou que queria conversar sobre um dinheiro que ele tinha prometido para ela. Aí fiquei emparelhada com a mulher dele [Francilene]. Eu falei ‘Carliana se ele não te der esse dinheiro tu não vota pra ele, porque ninguém vai votar de graça pra ninguém’. Quando eu falei assim, ele [prefeito] veio com agressão, deu a mão nos meus peitos, e as mãos na parede. Aí me deixou sozinha mais a mulher dele e foi pra casa da Regina”, detalhou Eloísa à nossa reportagem.

A denunciante informou que em seguida foi atrás de Idevaldo com a primeira-dama e neste sábado registrou o Boletim de Ocorrência na Delegacia dos Direitos da Mulher, em São Raimundo Nonato. “Depois fui para casa da irmã com a mulher dele e a Carliana, fomos atrás dele. Eu falei pra ele que não iria mais votar no candidato dele. Ele não me procurou mais depois do boletim”, finalizou a vítima.

Outo lado

Procurado pelo GP1, o prefeito Cuim não foi localizado até o fechamento desta matéria.

Mais conteúdo sobre: