Teresina - PI

Dudu critica falta de projeto para paradas de ônibus na Frei Serafim

“O que existe hoje é uma maquete, não há um projeto em si", alfinetou o vereador Dudu.

Jonas Carvalho
Teresina
- atualizado

A Câmara Municipal de Teresina, após solicitação do vereador Dudu (PT), realizou na última quinta-feira (11) uma audiência pública para discutir os impactos da implantação das paradas de ônibus no canteiro central da Avenida Frei Serafim.

Em entrevista ao GP1 nesta segunda-feira (15), Dudu explicou que a Prefeitura de Teresina não tem nenhum projeto de intervenção na via e ressaltou que os vereadores receberam apenas uma maquete da construção das paradas, sem que houvesse um estudo prévio para a viabilização das obras de intervenção.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1DuduDudu

“O que existe hoje é uma maquete, não há um projeto em si. Então ficou um constrangimento por parte da prefeitura ao dizer nos quatro cantos de Teresina que havia um projeto onde, na verdade, era a apresentação de uma maquete. Não existe um estudo profundo do impacto ambiental e paisagístico na modificação urbana, é um projeto que carece de estudos antes de fazer a licitação, porque depois que você fizer uma obra desse tamanho, você não pode voltar atrás”, informou.

De acordo com o parlamentar, há informação de que as obras ainda não haviam sido iniciadas por conta do Ministério Público do Estado que estava travando o início das intervenções. Contudo, segundo o vereador, o MP não recebeu nenhum projeto que validasse a obra na Avenida Frei Serafim.

“O que se sabia era que o Ministério Público havia recebido o projeto e que estava embargando a obra. A promotora Dr. Jeane disse que não existe nada, que há só uma maquete. No Conselho Nacional de Engenharia e Arquitetura também foi da mesma forma. Como se analisa um projeto de urbanização se não tem o projeto?”, indagou.

Inthegra

O vereador Dudu também criticou o novo sistema de transporte coletivo implantado pelo prefeito Firmino Filho (PSDB) em Teresina, o Inthegra. Para o parlamentar, esse é “um conjunto de obras que não se integram”.

“Eles não têm um projeto definitivo. Na maquete é tudo muito bonito. Essa integração que foi implantada hoje aí na maquete era para funcionar 100%, mas o que a gente vê são as vias afundando, um conjunto de obras que não se integram”, alfinetou.

O parlamentar disse ainda que não é contra nenhum projeto que beneficie a população da Capital. Contudo, ressaltou que estará sempre com uma “pulga atrás da orelha” para que não haja problemas como os que estão ocorrendo com a implantação das paradas de ônibus da Avenida Miguel Rosa.

O projeto apresentado pela Prefeitura de Teresina em 2018 será analisado novamente ainda esse mês, agora na Universidade Federal do Piauí, com a presença de professores com área de pesquisa no assunto e alunos do curso de geografia.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Corredor de ônibus na Avenida Presidente Kennedy deixa trânsito lento

Strans muda rotas de ônibus para corredor da Presidente Kennedy