Brasil

Escola do Rio de Janeiro impõe ideologia de gênero: ‘querides alunes'

De acordo com a instituição, o modelo atual, que respeita as normas da língua portuguesa, afeta os estudantes que não se identificam com o “sistema binário de gênero”.

Victória Xavier
Teresina
- atualizado

O Colégio Liceu Franco-Brasileiro, localizado no Rio de Janeiro, emitiu um comunicado nesta terça-feira (10) informando que a instituição vai permitir que docentes e estudantes decidam sua identidade de gênero.

De acordo com a instituição, o modelo atual, que respeita as normas da língua portuguesa, afeta os estudantes que não se identificam com o “sistema binário de gênero”, por esse motivo é necessário adotar a “neutralização de gênero gramatical”. A direção da escola ainda informa que a medida é uma forma de combate ao “machismo e ao sexismo”.

No comunicado, o Colégio Liceu Franco-Brasileiro também deu exemplo da frase “querides alunes” que passa a ser considerada correta pela direção do colégio, pois evita a representação de todos os gêneros apenas por substantivo masculino.

  • Foto: Reprodução/O GloboComunicado da instituiçãoComunicado da instituição

Repercussão na internet

A decisão da escola tem agitado as redes sociais. Alguns usuários do Twitter classificaram a medida como como piada de mau gosto. O colunista da Revista Oeste, Guilherme Fiuza, ironizou a decisão. “Querides hipócrites: agora é preciso substituir também o nome da instituição para Franque Brasileire. Façam o seu trabalhe direite”, ironizou o jornalista, que viu seguidores cobrarem resolução por parte do Ministério da Educação (MEC).

Mais conteúdo sobre: