Saúde

Estados Unidos chegam a três milhões de casos de coronavírus

Foi o quinto recorde nacional em nove dias.

Por  Estadão Conteúdo

No momento em que o presidente Donald Trump pressiona por uma reabertura mais ampla, os Estados Unidos atingiram outro recorde para novos casos de coronavírus na quarta-feira, 9, com mais de 59.400 infecções, segundo o dados do The New York Times.

Foi o quinto recorde nacional em nove dias. O recorde anterior, de 56.567, foi divulgado na sexta-feira, 3. Com os números, o país alcançou um total de três milhões de casos nesta semana, com o vírus avançando mais nas regiões sul e oeste da nação de 328 milhões de habitantes. Na terça, o número diário de novos casos no país havia aumentado 72% nas últimas duas semanas.

Pelo menos cinco estados - Missouri, Tennessee, Texas, Utah e Virgínia Ocidental - registraram recordes diários para novas infecções na quarta-feira. E mais de 20 Estados relataram mais casos na semana passada do que em qualquer outro período de sete dias da pandemia.

O Texas registrou mais de 9.900 casos na quarta - o terceiro dia consecutivo com recorde de novas infecções. De acordo com Deborah L. Birx, que coordena a resposta ao coronavírus do governo Trump, a taxa de testes positivos do estado estava em torno de 20% no início de julho, o dobro do que era um mês antes.

No Arizona, um surto em rápida expansão pressiona a capacidade hospitalar e eleva o número de mortes. Novos casos estão em alta desde o início de junho e, nesta semana, o estado registrou uma média de mais de 3.600 novos casos por dia - também um recorde.

Anthony S. Fauci, principal especialista em doenças infecciosas do governo, disse em uma entrevista nesta semana que qualquer estado que esteja tendo um problema de aumento nos casos deve considerar um fechamento de suas econoimas. "Não cabe a mim dizer, porque cada estado é diferente".

Fauci deu a declaração ao The Wall Street Journal no momento em que as instalações médicas em todo o país, sob pressão do aumento de casos, enfrentam falta de máscaras, de respiradores, luvas descartáveis e outros equipamentos ??que protegem os profissionais da linha de frente.

As escolas também são um ponto de conflito sobre como receber os alunos em segurança. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças disseram que divulgariam novas diretrizes depois que Trump criticou as anteriores. A ameaça de Trump de interromper a ajuda federal a escolas que se recusam a reabrir totalmente ocorre quando os cientistas lidam com as crescentes preocupações sobre a transmissão do vírus em espaços fechados.