Pedro II - PI

Estande institucional do Sebrae é destaque no Festival de Inverno

Caminho Empreendedor revela habilidades de ourives, lapidários, escultores e tecelões.

O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae no Piauí, inovou em seu estande nesta edição da Feira de Artesanato da instituição, que acontece até este domingo (23), como parte da programação do Festival de Inverno de Pedro II.

No espaço, chamado de Caminho Empreendedor, os visitantes podem conhecer todas as fases de criação de uma joia, desde a pedra bruta, passando pela lapidação, até a ourivesaria, para enfim o produto chegar ao mercado. O circuito comtempla também estações de escultura em madeira e tecelagem.

  • Foto: Divulgação/AscomDelano Rocha, diretor técnico do Sebrae no Piauí, na Estação Tear, com o mestre Osvaldo DouradoDelano Rocha, diretor técnico do Sebrae no Piauí, na Estação Tear, com o mestre Osvaldo Dourado

“Resolvemos trazer algo diferente para esta edição do festival, inovando no formato do nosso estande. Como uma das cadeias produtivas que mais se destacam no município é a opala, optamos por mostrar o caminho percorrido pelo empreendedor, da mina até o mercado consumidor. A ideia é incentivar que outras pessoas apostem na joalheria como fonte de renda. No caminho destacamos também a tecelagem e arte santeira”, afirma o diretor técnico do Sebrae no Piauí, Delano Rocha.

A Estação Garimpo marca o início do Caminho Empreendedor, mostrando uma pedra bruta e como as mãos do garimpeiro escava a terra para descobrir riquezas minerais como é o caso da opala, encontrada apenas na Austrália e em Pedro II, que é a única cidade do Brasil com minas dessa pedra preciosa.

Na sequência, o visitante passa pela Estação Lapidação, onde o lapidário, com toda a sua habilidade em modelagem de pedras, demostra o seu ofício de dar forma e brilho à opala em estado bruto.

Saindo da Estação Lapidação, o caminho leva para a Estação Ourivesaria, na qual o ourives, utilizando técnicas da joalheria, dá vida e forma às peças, apresentando o processo nos seus mínimos detalhes.

Após a fase da ourivesaria, a joia está pronta para ir ao mercado. E no Caminho Empreendedor, essa etapa é apresentada na Estação Exposição, onde está montada uma vitrine com vários modelos de joias feitas em opala, seja ela natural, bruta ou em mosaico.

Além das habilidades dos lapidários e ourives, representadas nas fases de produção de uma joia, o Caminho Empreendedor tem espaço também para o talento de renomados mestres de ofício, que se dedicam a esculpir a madeira e tecer fios.

Na Estação Escultor, o renomado mestre santeiro de Pedro II, José Joaquim Araújo, mais conhecido como mestre Araújo, trabalha habilmente o entalhe da madeira, dando forma a imagens, que representam o potencial e a qualidade da arte santeira piauiense. A madeira utilizada por Araújo é geralmente a de imburana de espinho, de troncos mortos, derrubados nos desmatamentos.

Na Estação Tear, o mestre Osvaldo Dourado, que trabalha na Trapos e Fiapos – empresa de referência quando se trata de tecelagem artesanal no país – demonstra num pequeno tear manual, como os fios cuidadosamente alinhados dão forma às peças.

Além do Caminho Empreendedor, o Sebrae trouxe para o Festival de Inverno sua tradicional Feira de Artesanato, bem como talk shows com assuntos relacionados ao mundo dos negócios, o Circuito Piauí Solar e atividades em parceria com a startup Conheça O Piauí.

Mais conteúdo sobre: