Política

Francisco Limma defende extinção de órgãos para corte de gastos

Francisco Limma disse que as mudanças que estão sendo feitas vão ajudar o governo a manter as contas equilibradas.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado

O deputado estadual Francisco Limma (PT) defendeu as mudanças que vão ser realizadas pelo governador Wellington Dias (PT) com o objetivo de cortar gastos. Na segunda-feira (11), o governador Wellington Dias se reuniu com secretários e deputados para apresentar o texto da reforma administrativa, onde pretende extinguir 19 órgãos estaduais e prevê um corte de 2.304 cargos no governo.

Francisco Limma disse que as mudanças que estão sendo feitas vão ajudar o governo a manter as contas equilibradas. “O governador apresentou o que eu nem chamaria de uma proposta de reestruturação administrativa, eu chamaria mais de um plano de tentativa de equilíbrio financeiro do estado, que envolve várias ações, uma delas é a proposta da reforma administrativa, que busca fazer um ajuste na estrutura visando, claro, uma economia, mas sobretudo melhorar o funcionamento da estrutura administrativa do Estado, que vem desde a extinção de alguns órgãos, a maioria das coordenadorias, a fusão e a reestruturação de outras. A meta nesse campo do controle de despesa é ter uma economia de cerca de R$ 300 milhões para equilibrar as finanças do Estado em 2020”, explicou.

  • Foto: Helio Alef/GP1Francisco LimmaFrancisco Limma

Ele destacou que com essas mudanças, o governo ainda pretende investir na modernização de alguns setores para que os serviços e os próprios servidores não sejam prejudicados com as mudanças que estão sendo realizadas.

“Uma outra questão tratada é a modernização de alguns setores, como por exemplo, a parte de licitação e contratos. Então o governo, na proposta que deve ser apresentada até quinta-feira, ele centraliza praticamente todas as licitações, inclusive na área da Saúde, mas junta no mesmo espaço o pessoal que cuida diretamente das licitações, procuradores do Estado e controladores para que as coisas fluam mais rapidamente, além da consolidação das Parcerias Público Privadas e de outras áreas. Então o governo está cuidando de determinadas medidas que serão importantes para o futuro e para a modernização da gestão, sempre tendo o cuidado de assegurar a manutenção dos salários em dia, para não acontecer o que já aconteceu com outros estados, que estão pedindo autorização para cortar salário, para reduzir salário e até para demitir concursado. O governador não tem esse interesse, mas vai fazer revisão de contratos, vai proceder ajustes, redução em valores de condição especial, são várias coisas”, explicou.

Uma das mudanças da reforma administrativa é a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR) que será extinta e serão criadas duas novas secretarias: a Desenvolvimento da Agricultura Familiar e a do Agronegócio.

“A SDR está apenas sendo renomeada, ela passa a cuidar exclusivamente da área da agricultura familiar e do entorno e o governador cria uma nova área, que é a Secretaria de Agronegócio e Empreendedorismo. Então é mantida praticamente toda estrutura da Secretaria de Desenvolvimento Rural. Ninguém trata, eu por exemplo, não brigo por nomes. Eu brigo por metas, por objetivos, por orçamentos. Não há uma exclusão, há adequações, que é uma reivindicação antiga”, disse o parlamentar.