Política

Francisco Limma diz que Wellington Dias não deve conceder reajustes

Desde a discussão da reforma administrativa o governador Wellington Dias (PT) declarou que não irá fazer reajuste para nenhuma categoria.

Bárbara Rodrigues
Teresina
Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado estadual Francisco Limma (PT) afirmou nessa quinta-feira (6) que o governador irá priorizar fazer os pagamentos em vez de realizar reajustes aos servidores. A declaração ocorreu após ser questionado sobre a greve dos professores da rede pública estadual que está prevista para iniciar no dia 14 de junho.

A categoria quer um reajuste salarial de 4,17%. Desde a discussão da reforma administrativa, o governador Wellington Dias (PT) declarou que não irá fazer reajuste para nenhuma categoria devido a situação financeira do Estado e pelo fato do governo estar acima do Limite de Responsabilidade Fiscal (LRF).

  • Foto: Lucas Dias/GP1Francisco LimmaFrancisco Limma

Francisco Limma afirmou que o secretário de Governo, Osmar Júnior, está coordenando a comissão que está negociando com os servidores sobre isso. Ele explicou que o governo está aberto ao diálogo, mas que no momento não é possível fazer acordo.

“O secretário Osmar Júnior está coordenando um grupo de trabalho que está tratando além da educação e com outros servidores. O que o governador tem orientado é que não se faça acordo, onde você que não vai cumprir, isso não pode. O governador está lutando para não atrasar salários. O Piauí é um dos poucos estados do Brasil que não atrasou salário”, explicou.

O deputado estadual explicou que o governador não vai descumprir a LRF para garantir o reajuste aos professores, até porque siso poderia implicar no atraso de salários. “Nós vamos cumprir a lei, todos nós somos favoráveis aos melhores salários e reajustes possíveis, mas entre atrasar salário e conceder reajuste, o governador vai preferir não atrasar salário. Se for possível o aumento, vamos tratar. De um lado o governo rem que ver o que é possível e do outro os servidores compreenderam o que é possível e aceitável”, destacou o parlamentar.

NOTÍCIA RELACIONADA

Professores da educação básica do Piauí vão entrar de greve dia 14

Mais conteúdo sobre: