Polícia

Fundador da Ricardo Eletro é preso em operação por sonegação fiscal

A força-tarefa é composta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), pela Receita Estadual e pela Polícia Civil.

Jeyson Moraes
Teresina
- atualizado

O fundador e ex-principal acionista da rede varejista Ricardo Eletro, Ricardo Nunes, foi preso na manhã desta quarta-feira (8) no estado de São Paulo, em operação de combate à sonegação fiscal e lavagem de dinheiro no estado de Minas Gerais. A força-tarefa foi composta pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), pela Receita Estadual e pela Polícia Civil.

A operação foi denominada de “Direto com o Dono” e segundo as investigações, cerca de R$ 400 milhões em impostos foram sonegados a mais de cinco anos.

  • Foto: Reprodução/FacebookRicardo EletroRicardo Eletro

A filha do empresário, Laura Nunes, também foi presa durante a operação na cidade de Belo Horizonte-MG. Existe ainda um mandado de prisão em aberto contra Pedro Daniel Magalhães, diretor superintendente da Ricardo Eletro, em Santo André (SP) e um mandado de busca e apreensão contra o irmão de Ricardo Nunes, identificado como Rodrigo Nunes.

  • Foto: DivulgaçãoRicardo Nunes, fundador da Ricardo Eletro, de máscara preta, em delegacia de São PauloRicardo Nunes, fundador da Ricardo Eletro, de máscara preta, em delegacia de São Paulo

Além disso, a operação também cumpre 14 mandados de busca e apreensão. Em Minas Gerais, os mandados estão sendo cumpridos nas cidades de Belo Horizonte, Contagem e Nova Lima. Em São Paulo, há alvos na capital e em Santo André.

O crime

O Ministério Público informou que a rede de varejo cobrava dos clientes o valor do produto e dos impostos, mas não fazia os devidos repasses. As investigações concluíram também que o crescimento do patrimônio de Ricardo Nunes ocorreu na mesma época em que os crimes tributários eram praticados.

A justiça determinou também o sequestro de bens do empresário avaliados em aproximadamente R$ 60 milhões para ressarcir o estado de Minas Gerais.

Mais conteúdo sobre: