Economia e Negócios

G-20 anuncia maior produção de remédios a custo mais baixo

Dedicação do grupo, conforme o comunicado, se dará em conjunto com a OMS, FMI, o Banco Mundial (Bird), a ONU e outras organizações internacionais.

Por  Estadão Conteúdo

O grupo das 20 maiores economias do mundo (G-20), grupo do qual o Brasil também faz parte, se comprometeu a expandir a capacidade de fabricação para atender às crescentes necessidades de suprimentos médicos e garantir que sejam amplamente disponíveis, a um preço acessível, de forma equitativa, onde são mais necessários e da forma mais rápida possível. A garantia foi feita em comunicado conjunto divulgado após reunião virtual extraordinária realizada com os líderes dos países e convocada pela Presidência Saudita. “Ressaltamos a importância da comunicação responsável com o público durante esta crise global de saúde”, trouxe a declaração.

O G-20 também prometeu tomar todas as medidas de saúde necessárias e garantir o financiamento adequado para conter a pandemia e proteger as pessoas, especialmente as mais vulneráveis. “Compartilharemos informações oportunas e transparentes; dados epidemiológicos e clínicos; materiais necessários para pesquisa e desenvolvimento; e fortaleceremos os sistemas de saúde em todo o mundo”, citou. Os ministros da Saúde ficaram encarregados de se reunirem, conforme as necessidades, para compartilharem as melhores práticas nacionais e desenvolver um conjunto de ações urgentes do G-20 para combater conjuntamente a pandemia em sua reunião ministerial em abril.

O grupo também disse “apoiar totalmente” e fortalecer ainda mais o mandato da Organização Mundial da Saúde (OMS) na coordenação da luta internacional contra a pandemia, incluindo a proteção dos profissionais de saúde que trabalham na linha de frente, de entrega de suprimentos médicos, especialmente ferramentas de diagnóstico, tratamentos, medicamentos, e vacinas. “Reconhecemos a necessidade de ações urgentes de curto prazo para intensificar os esforços globais para combater a crise da covid-19”, trouxe o comunicado, acrescentando que o G-20 trabalhará rapidamente com as partes interessadas para reduzir a lacuna de financiamento no Plano Estratégico de Resposta e Resposta da OMS.

Além disso, os líderes dos países se prontificaram a fornecer recursos imediatos às organizações da OMS. “Apelamos a todos os países, organizações internacionais, setor privado, filantropia e indivíduo a contribuir para esses esforços”, pediram. Foi acertado também que os membros aumentarão o financiamento de pesquisa e desenvolvimento de vacinas e medicamentos, entre outros pontos. O G-20 pediu à OMS para que reporte suas lacunas aos ministros de Finanças e Saúde nos próximos meses para que uma resposta seja preparada.

Sem medir esforços

O G-20 disse nesta quinta-feira, 26, estar comprometidas em fazer "o que for necessário" para superar a pandemia de coronavírus no planeta. A declaração foi feita em comunicado divulgado após reunião virtual extraordinária realizada com os líderes dos países e convocada pela Presidência Saudita para discutir ações de combate ao Covid-19. A dedicação do grupo, conforme o comunicado, se dará em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Fundo Monetário Internacional (FMI), o Banco Mundial (Bird), a Organização das Nações Unidas (ONU) e outras organizações internacionais.

O grupo se diz “determinado a não poupar esforços”, individual e coletivamente, para proteger vidas, empregos e a renda das pessoas; restaurar a confiança, preservar a estabilidade financeira, reavivar o crescimento e recuperar-se mais forte; minimizar interrupções no comércio e nas cadeias de suprimentos globais; prestar ajuda a todos os países que precisam de assistência; coordenar medidas de saúde pública e financeiras.

“A pandemia sem precedentes da covid-19 é um lembrete poderoso de nossa interconectividade e vulnerabilidades. O vírus não respeita fronteiras”, trouxeram os países. “O combate a esta pandemia exige uma resposta global transparente, robusta, coordenada, em larga escala e baseada na ciência e no espírito de solidariedade. Estamos fortemente comprometidos em apresentar uma frente unida contra essa ameaça comum”, continuou o texto.

O comunicado também salientou que os membros do G-20 estão profundamente tristes com a trágica perda de vidas e o sofrimento enfrentado pelas pessoas em todo o mundo. “Enfrentar a pandemia e seus impactos interligados na saúde, sociais e econômicos é nossa prioridade absoluta. Expressamos nossa gratidão e apoio a toda a linha de frente de profissionais de saúde , enquanto continuamos a combater a pandemia.”