Bizarro

Indiana de 75 anos pode ser a mulher mais velha do mundo a dar à luz

A criança nasceu com 600 gramas e foi logo encaminhada para a unidade de terapia intensiva neonatal em outro hospital.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

Uma mulher indiana pode ter se tornado a mãe mais velha do mundo ao dar à luz aos 75 anos de idade. Ela ficou grávida por meio de fertilização in vitro (FIV) e o bebê, uma menina, nasceu na noite do último sábado, 12, informou o The Times of India. No entanto, a médica que fez o parto não pode confirmar a idade da parturiente, uma vez que ela não levou documento de identidade.

Prabha Devi passou por uma cesárea aos seis meses e meio de gestação no Kinker Hospital, um centro médico privado em Kota, no Estado indiano de Rajastão. A criança nasceu com 600 gramas e foi logo encaminhada para a unidade de terapia intensiva neonatal em outro hospital.

A cirurgia para o parto foi necessária devido à idade da mulher, que estava clinicamente e fisicamente fraca. Além disso, ela tinha apenas um pulmão funcionando, outro desafio para os médicos.

Prabha e o marido dela, de 80 anos, adotaram uma criança, mas a mulher queria ter o próprio filho, então consultou médicos para avaliar a possibilidade de FIV.

Segundo a ginecologista e obstetra Abhilasha Kinker, que viabilizou o parto, a gestante foi ao hospital cerca de cinco dias antes do nascimento da menina. A equipe médica constatou que havia complicações.

"Ela estava doente e velha e não podíamos arriscar com ela e a vida da criança. Ela já tinha carregado a criança por mais de seis meses, o que foi muito surpreendente para a idade dela", disse a médica ao Daily Mail. "Se nós não tivéssemos feito o parto do bebê, ele teria morrido no útero".

A notícia do parto de Prabha veio um mês após outra indiana, de 74 anos, dar à luz gêmeos e, até então, ser considerada a pessoa mais velha do mundo a ter filhos. A idade dela também não pode ser confirmada.

Mãe mais velha do mundo

Um representante do Guinness World Records disse ao Daily Mail que não havia evidência suficiente para atestar que Prabha é a mãe mais velha do mundo. Para notificar um recorde, a equipe utiliza certidões de nascimento, censos e documentos hospitalares. Entrevistas com testemunhas independentes também são feitas para confirmar se a informação está correta.

De acordo com o Livro dos Recordes, Maria del Carmen Bousada Lara é a mãe mais velha do mundo. Ela deu à luz gêmeos, por cesárea, quando tinha 66 anos e 358 dias de vida no hospital Sant Pau, em Barcelona, na Espanha, no dia 26 de dezembro de 2006.

Maria também engravidou por meio de FIV, tratamento realizado nos Estados Unidos (ela mentiu que tinha 55 anos) após ter o pedido rejeitado no país europeu. Após ser diagnosticada com câncer, ela morreu em 11 de julho de 2009.

Gravidez tardia

Especialistas e estudos confirmam que as chances de parto prematuro, aborto ou ter um bebê com baixo peso aumentam em mulheres mais velhas. Isso ocorre devido a mudanças no sistema reprodutivo, que torna mais difícil para a mulher transferir nutrientes para o feto.

A mulher que decide engravidar mais tarde tem o dificultador da baixa reserva ovariana. A ginecologista Maria Cecília Erthal, especialista em reprodução humana, explica que a quantidade de óvulos disponível no corpo feminino cai consideravelmente conforme a idade avança. A partir dos 30 anos, a fertilidade feminina começa a diminuir e após os 35 anos passa a reduzir ano após ano.

"Toda mulher nasce com, aproximadamente, de um a dois milhões de óvulos, chegando à puberdade com cerca de 300 a 500 mil. A cada ciclo menstrual, são perdidos cerca de mil óvulos, independente do uso de pílula anticoncepcional. O processo de perda e consumo de óvulos ocorre por morte celular e isso não pode ser evitado com medicamentos", afirma a especialista e diretora médica da clínica Vida Centro de Fertilidade.

A mulher que planeja engravidar mais tarde pode optar pelo congelamento dos óvulos para preservar a fertilidade. Depois, ela pode realizar a fertilização in vitro, em que o óvulo já fecundado é inserido no útero.

Mais conteúdo sobre:

MAIS LIDAS