Polícia

Inquérito do caso Emilly é encaminhado ao Poder Judiciário

A informação foi confirmada ao GP1 pelo delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador da Delegacia de Homicídios, responsável pelo caso.

THAIS GUIMARÃES
- atualizado

A Polícia Civil do Piauí concluiu o inquérito que investiga o assassinato de Emilly Caetano da Costa, e o encaminhou ao Poder Judiciário na manhã dessa sexta-feira (05). A informação foi confirmada ao GP1 pelo delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador da Delegacia de Homicídios, responsável pelo caso.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Delegado Francisco Costa, o BarêttaDelegado Francisco Costa, o Barêtta

Barêtta informou que o soldado Aldo Luís Barbosa Dornel e o cabo Francisco Venício Alves, da Polícia Militar do Piauí, responsáveis pela morte da criança, foram indiciados por homicídio doloso, tentativa de homicídio e fraude processual, pelo fato de os pais da menina terem sido baleados na ação policial.

  • Foto: FacebookEmíle Emilly Caetano

“Já foi remetido ao Poder Judiciário e o Poder Judiciário encaminha para o Ministério Público”, afirmou Barêtta. O inquérito foi presidido pelo delegado Higgo Martins.

Relembre o caso

Emilly Caetano da Costa, de 9 anos, morreu ao ser atingida com dois tiros durante uma abordagem da Polícia Militar na Avenida João XXIII, localizada na zona leste de Teresina, na noite do dia 25 de dezembro de 2017. A criança, juntamente com os pais e três irmãs, estavam em um veículo modelo Renault Clio.

Evandro Costa e Dayanne Costa, pais de Emilly, também foram baleados dentro do carro. Os dois policiais, Aldo Luís Barbosa Dornel e Francisco Venício Alves, que participaram da ação estão presos no presídio militar.