Política

Justiça Federal torna réu ex-prefeito Mardônio Soares

Relatório feito pela Controladoria Geral da União aponta que condutas irregulares causaram prejuízos na ordem de R$ 106.040,00(cento e seis mil e quarenta reais).

Raisa Brito
Chefe de Redação
- atualizado

O juiz Leonardo Tavares Saraiva, da 1ª Vara Federal da Seção Judiciária do Piauí, recebeu a petição inicial da ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público Federal e tornou réus o ex-prefeito de Barra D´Alcântara, Mardônio Soares Lopes e a ex-secretária municipal da Educação, Lucilene Santos de Oliveira, acusados de irregularidades na aplicação de recursos públicos federais repassados ao município nos anos de 2009 a 2011, dentre as quais: irregularidades na prestação de serviços de transporte escolar, despesas inelegíveis com gastos diversos, não localização de bens adquiridos com recursos do Fundeb, dispensa indevida de licitação e contratação irregular de prestadores de serviço.

Relatório feito pela Controladoria Geral da União aponta que condutas irregulares causaram prejuízos na ordem de R$ 106.040,00(cento e seis mil e quarenta reais).

Segundo a decisão, proferida em 08 de junho de 2020, a petição inicial aponta ilegalidades que, em tese, alcançariam bens e serviços da União e evidenciam indícios da prática de improbidade administrativa.

O juiz determinou a citação dos requeridos para apresentarem contestação no prazo de 15 dias.

Outro lado

Mardônio Soares não foi localizado pelo GP1.