Teresina - PI

Justiça marca audiência de acusado de matar PM do Pará em Teresina

A investigação, realizada pela Delegacia de Homicídios, apontou que o caso poderia se tratar de um crime de pistolagem, ou seja, encomendado por alguém.

Davi Fernandes
Teresina

A 1ª Vara do Tribunal Popular do Júri do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), marcou para o dia 17 de março, às 11h30, a audiência de instrução de julgamento de Elizeu Silva Rangel, acusado de assassinar a tiros o soldado militar do Pará, Maycon Wellington Teixeira Batista no dia 17 de julho de 2015, na Avenida Miguel Rosa.

Maycon Wellington estava em um veículo de modelo Fox e havia saído da residência dos seus irmãos, no bairro Promorar, na zona sul de Teresina e se dirigia até a Igreja Mundial, na Avenida Miguel Rosa. Dois homens em uma motocicleta esperaram a vítima sair do veículo e um deles efetuou os disparos de arma de fogo.

A investigação, na época realizada pela Delegacia de Homicídios, apontou que o caso poderia se tratar de um crime de pistolagem, ou seja, encomendado por alguém. Porém a versão de populares era que o PM havia se envolvido em uma confusão e após isso, foi ameaçado de morte.

  • Foto: Divulgação/PMPolicial militar do Pará assassinado a tirosPolicial militar do Pará assassinado a tiros

A vítima trabalhava na Polícia Militar do Pará desde o ano de 2011 e estava em Teresina após entrar de licença médica, pois estava realizando um tratamento no joelho.

Outros suspeitos

Samuel Cruz dos Santos e Nilcéia de Sousa Silva foram presos suspeitos de matarem Maycon. Eles foram presos durante ação conjunta entre as polícias do Piauí, Maranhão e Pará. Samuel Cruz estava utilizando uma identidade falsa no nome de Edvan Lima dos Santos.

Investigações da Delegacia de Homicídios de Teresina identificaram os suspeitos do crime e localizaram o padeiro dos mesmos. “São presos de alta periculosidade, envolvidos em assaltos a bancos aqui no Piauí, Ceará, Maranhão e Pernambuco”, informou o coordenador da Delegacia de Homicídios, delegado Francisco Baretta.

Uma terceira versão apresentada pelo assassinato, foi a que o PM mantinha uma relação amorosa com Nilcéia e foi morto por ter conhecimento de crimes praticados por pessoas ligadas a ela. Um deles, sendo Elizeu Silva Rangel.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Homem morto na zona sul de Teresina era soldado da Polícia Militar do Pará

Polícia prende dois acusados de matar policial militar em Teresina

Mais conteúdo sobre: