Economia e Negócios

Mais de 8,5 mil piauienses perderam emprego entre janeiro e maio

Conforme os dados, durante os cinco primeiros meses do ano, 29.186 pessoas foram admitidas e 37.740 foram desligadas de seus postos de trabalho.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Entre os meses de janeiro a maio de 2020, o Piauí registrou o fechamento de 8.554 postos de trabalho formal. A informação foi divulgada pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Conforme os dados, durante os cinco primeiros meses do ano, 29.186 pessoas foram admitidas e 37.740 foram desligadas de seus postos de trabalho.

Quando comparado com outros estados da federação, o Piauí ficou em 10ª posição entre os que menos tiveram perdas de empregos formais. O estado de São Paulo foi o estado que mais demitiu empregados formais, com 1.965.761 admissões e 2.305.315 desligamentos. O saldo é de menos 339.554 empregos formais.

  • Foto: Divulgação/CagedDados do CagedDados do Caged

Apenas no mês de maio, 2.901 pessoas foram admitidas, enquanto 6.260 foram demitidas. O saldo foi de 3.359 menos empregos, tendo em vista a subtração do número de admitidos e demitidos. A variação no mês foi de – 1,15%.

No estado do Ceará, vizinho ao Piauí, apenas no mês de maio 14.347 pessoas foram contratadas e 23.823 perderam o emprego. Apenas em um mês, durante a pandemia, o saldo no estado foi de menos 9.476 empregos. No acumulado dos cinco meses do ano, o número de demitidos foi 37.389.

Mais conteúdo sobre: