Eleições 2018

Marta Suplicy recusa ser vice de Meirelles e deixa o MDB

Ela afirmou ainda que não disputará a reeleição para o Senado.

Por  Estadão Conteúdo

A senadora Marta Suplicy comunicou nesta sexta-feira (03) ao presidente nacional do MDB, o também senador Romero Jucá, que nem será candidata a vice-presidente da República na chapa do ex-ministro Henrique Meirelles, nem disputará a reeleição para o Senado e nem mesmo ficará no MDB.

Apesar de estar encerrando na prática a longa e bem-sucedida carreira política, ela disse ao Estado que não é essa sua pretensão: “Estou deixando a vida parlamentar e partidária, mas tenho muitos planos e estudo novas trincheiras de participação política na sociedade. Vou continuar sempre participando ativamente da política brasileira”.

  • Foto: J. F. Diorio/Estadão ConteúdoMarta SuplicyMarta Suplicy

Marta também lançou uma “Carta aos Paulistas”, em que agradece os 8,5 milhões de votos que teve para o Senado em 2010 e critica duramente os rumos da política brasileira. Diz que os partidos “encontram-se fragilizados, acuados e sem norte político” e demonstra frustração com o Parlamento, ao dizer que o Congresso Nacional “tornou-se refém de uma agenda atrasada dos costumes da sociedade”.

Psicóloga e psicanalista, Marta foi durante décadas do PT, migrou para o MDB durante o que considerava, e considera, “desastre Dilma Rousseff” e encerra sua carreira parlamentar juntamente com a decisão de não se filiar mais a nenhuma sigla.

Depois de marcar a trajetória na TV e no Congresso defendendo grandes causas de gênero, de inclusão e de educação, além dos direitos LGBT, ela confessa na despedida que o cargo que mais gostou em toda a sua vida foi a de prefeita de São Paulo, “porque você pode fazer diferença na vida das pessoas, e eu fiz”.

Veja a carta na íntegra

  • Foto: DivulgaçãoCarta de Marta SuplicyCarta de Marta Suplicy

Mais conteúdo sobre:

MAIS LIDAS