Economia e Negócios

Mercado reduz projeção de crescimento do PIB de 2019 no Brasil

Segundo Relatório Focus, a previsão de alta do PIB para 2020 caiu de 2,50% para 2,23%.

Por  Estadão Conteúdo

A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 passou de 1,13% para 1,00%, conforme o Relatório de Mercado Focus do Banco Central (BC) divulgado nesta segunda-feira, 10.

Há quatro semanas, a estimativa de crescimento era de 1,45%. Para 2020, o mercado financeiro alterou a previsão de alta do PIB, de 2,50% para 2,23%. Quatro semanas atrás, estava em 2,50%.

Segundo o relatório, a projeção para a alta da produção industrial de 2019 despencou de 1,49% para 0,47%. Há um mês, estava em 1,70%. No caso de 2020, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 3,00%, igual ao visto quatro semanas antes.

A pesquisa Focus mostrou ainda que a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2019 passou de 56,28% para 56,23%. Há um mês, estava em 56,20%. Para 2020, a expectativa foi de 58,55% para 58,60%, ante 58,30% de um mês atrás.

Selic

As projeções para a Selic (a taxa básica de juros) no fim de 2019 foram mantidas em 6,50%. Entretanto, a perspectiva para o encerramento de 2020 e 2021 foi alterada de 7,25% para 7,00% ao ano, ante 7,50% de quatro semanas atrás.

No caso de 2021, a projeção passou de 8,00% para 7,50%, ante 8,00% de um mês antes. A projeção para a Selic no fim de 2022 permaneceu em 7,50%, ante 8,00% de um mês antes.

Inflação

O IPCA - o índice oficial de preços - este ano passou de alta de 4,03% para elevação de 3,89%. Há um mês, estava em 4,04%. A projeção para o índice em 2020 seguiu em 4,00%. Quatro semanas atrás, estava no mesmo nível.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2021, que seguiu em 3,75%. No caso de 2022, a expectativa também permaneceu em 3,75%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,75% para ambos os casos.

As projeções mais recentes do BC, considerando o cenário de mercado, apontam para inflação de 4,1% em 2019 e 3,8% em 2020. As estimativas constaram no comunicado e na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em maio. Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, na última sexta-feira, 7, , que o IPCA de maio desacelerou a 0,13% ante 0,57% em abril. Em 12 meses, a taxa acumulada é de 4,66%.

Mais conteúdo sobre: