Política

Michel Temer diz que é 'incogitável' fechar fronteira com Venezuela

O país vizinho passa por uma severa crise política, econômica e social e o Brasil tem sido um dos principais destinos de quem deixa a Venezuela em busca de melhores condições de vida.

WANESSA GOMMES
DE TERESINA
- atualizado

O presidente Michel Temer afirmou que é "incogitável" o fechamento da fronteira do Brasil com a Venezuela, como solicitado ao Supremo Tribunal Federal (STF) pelo Governo de Roraima, nesta sexta-feira (13).

O país vizinho passa por uma severa crise política, econômica e social e o Brasil tem sido um dos principais destinos de quem deixa a Venezuela em busca de melhores condições de vida.

Segundo a governadora de Roraima, Suely Campos, o estado não está conseguindo lidar com a quantidade de imigrantes venezuelanos, pois, por dia, chegam de 500 a 700 imigrantes.

  • Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão ConteúdoPresidente Michel TemerPresidente Michel Temer

Para Temer: "Não é hábito do Brasil [fechar fronteiras]. O Brasil não fecharia fronteiras e nem espero que o Supremo venha a decidir dessa maneira. O contrário. Quando fomos lá [a Roraima], nós dissemos: 'haverá fiscalização [...]'. Então fechar fronteira é incogitável", afirmou.

O presidente, que está no Peru para participar da Cúpula das Américas, disse ainda que o Governo Federal vem tomando medidas que, segundo ele, foram pleiteadas pelo Governo do Estado.

"Acabei de verificar a petição e percebi o seguinte: muitas das medidas lá pleiteadas estão sendo tomadas – recursos, pessoas que vão para lá para dar assistência social, assistência médica. Eu mesmo estive lá. Eu creio que esse pleito, não sei se ele tem, com a devida vênia, muita significação", disse o presidente.