Luís Correia - PI

Ministério Público pede para Kim do Caranguejo manter fiscalizações

Na recomendação o promotor Galeno Aristóteles esclareceu que é necessário nesse momento evitar a realização de eventos que causem aglomerações.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí, por meio do promotor Galeno Aristóteles Coêlho de Sá, expediu uma recomendação, no dia 7 de maio, ao prefeito de Luís Correia, Kim do Caranguejo, em relação a fiscalização nas igrejas e templos do município, a fim de que seja garantida a suspensão de atividades religiosas por meio presencial, como forma de prevenção à propagação do novo coronavírus.

Na recomendação o promotor esclareceu que é necessário nesse momento evitar a realização de eventos que causem aglomerações e citou o Decreto Estadual nº 18.902/2020 que trata sobre a suspensão, de forma presencial, de atividades religiosas em igrejas e templos.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Kim do CaranguejoKim do Caranguejo

Galeno Aristóteles destacou a necessidade de fiscalização devido “a alta escalabilidade viral do covid-19, exigente de infraestrutura hospitalar (pública ou privada) adequada, com leitos suficientes e composta com aparelhos respiradores em quantidade superior à população em eventual contágio, o que está fora da realidade de qualquer centro médico deste Estado”.

Ele então pede que Kim do Caranguejo continue a realizar fiscalização nas igrejas e templos do município, a fim de que seja garantida a suspensão de atividades religiosas por meio presencial.

“Há outros meios a serem utilizados pelos líderes religiosos que garantem que seus fiéis tenham acesso as missas e cultos ministrados, sem que eles precisarem se deslocar de suas respectivas residências, como as transmissões ao vivo pelos diversos aplicativos e plataformas existente na internet”, destacou o promotor Galeno.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Teresina já registra 22 óbitos e 755 casos do novo coronavírus

Parnaíba registra 76 casos confirmados do novo coronavírus

Estratégia na luta contra coronavírus isola Brasil na América Latina