São Raimundo Nonato - PI

Morador denuncia irregularidades em adutora de São Raimundo Nonato

A obra foi realizada pelo Governo Federal, através da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

Wanessa Gommes
Teresina
- atualizado

O GP1 recebeu, nesta terça-feira (11), denúncia de irregularidades no funcionamento da adutora de engate rápido na cidade de São Raimundo Nonato, que foi inaugurada em julho do ano passado e custou R$ 15,4 milhões. A obra foi realizada pelo Governo Federal, através da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

O denunciante, que preferiu não se identificar, gravou um vídeo relatando a atual situação da adutora. Ele mostra a encanação que fica em entre as Serras Branca e Vermelha onde era para estar passando a água. “Aqui é a encanação da adutora de engate rápido (...) aqui vocês vão perceber que essa encanação não está passando água para abastecer a cidade de São Raimundo Nonato. Essa encanação era para ser interligada em outra rede para abastecer a cidade”, relatou.

“Uma obra de R$ 15 milhões que não está funcionando. Aqui você vê [ele bate no cano], que o cano está seco”, criticou.

Em outro momento do vídeo, ele mostra um desvio que foi feito de uma caixa de abastecimento de água para uma caixa aberta onde está outro cano. “[A encanação] não segue direto, ela faz esse desvio para essa caixa, uma caixa que não tem segurança alguma, ela é aberta, o cano não é acoplado no outro, não traz segurança nenhuma para a população. Alguém pode chegar, fazer alguma coisa, podendo causar algum risco à população de São Raimundo Nonato”, disparou.

A adutora

A adutora tem 26 quilômetros de extensão e deveria levar água dos poços da Serra Branca ao sistema adutor do Garrincho, possibilitando o abastecimento de nove municípios da região da Serra da Capivara, beneficiando, a população de São Raimundo Nonato, Coronel José Dias, São Lourenço do Piauí, Bonfim do Piauí, Várzea Branca, Anísio de Abreu, São Braz do Piauí, Dirceu Arcoverde e Jurema.

Outro lado

Nenhum responsável pela Codevasf foi localizado pelo GP1.

Mais conteúdo sobre: