Dom Expedito Lopes - PI

MP investiga escritório de advocacia de Willian Guimarães

“Eu não tenho nada a informar porque não tenho conhecimento do procedimento, eu nunca fui notificado e não tenho como me manifestar sobre isso”, disse o ex-presidente da OAB.

Raisa Brito
Chefe de Redação
- atualizado

O Ministério Público do Estado abriu investigação contra o escritório de advocacia Guimarães, Amorim e Freitas Procuradores Associados, do ex-presidente da OAB-PI, Willian Guimarães, e outras duas empresas, por possível lesão ao patrimônio público municipal de Dom Expedito Lopes.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Advogado eleitoral Willian GuimarãesAdvogado eleitoral Willian Guimarães

Inquérito

O inquérito civil público foi aberto pela promotora de Justiça Romana Leite Vieira, em novembro do ano passado, após ofício encaminhado pela Procuradoria Geral de Justiça informando sobre contratações de serviços advocatícios realizadas pelo município de Dom Expedito Lopes. A investigação vai apurar possíveis irregularidades na contratação do escritório de Willian Guimarães.

A promotora destacou que “ressalvados os casos especificados na legislação, as obras, serviços, compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes, com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento, mantidas a condições efetivas da proposta, nos termos da lei, o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações”.

Movimentações

Em uma das últimas movimentações do processo no MP, de fevereiro deste ano, a promotora Romana Leite Vieira requisitou ao prefeito de Dom Expedito Lopes, Valmir Barbosa, cópia dos contratos celebrados, dos procedimentos de licitação ou de dispensa ou inexigibilidade de licitação, bem como a juntada das notas de empenho e ordens de pagamento, detalhando-se os serviços prestados, em favor do escritório de advocacia de Willian Guimarães, no prazo de 20 dias. O Município de Dom Expedito Lopes encaminhou resposta no dia 13 de junho.

Outro lado

Ouvido pelo GP1 nesta sexta-feira (29), o advogado Willian Guimarães preferiu não se manifestar: “Eu não tenho nada a informar porque não tenho conhecimento do procedimento, eu nunca fui notificado e não tenho como me manifestar sobre isso”.