Teresina - PI

MP investiga suspensão de atendimentos ao plano de saúde do IPMT

A portaria nº 04/2018, de 1º de fevereiro deste ano, foi assinada pela promotora de Justiça Gladys Gomes Martins de Sousa.

BRUNNO SUÊNIO
DE TERESINA
- atualizado

O Ministério Público do Estado do Piauí abriu procedimento preparatório de inquérito civil para investigar as causas das suspensões dos atendimentos por médicos, clínicas e hospitais aos segurados do Plano de Saúde IPMT Saúde/PLANTE em prejuízo da assistência aos consumidores beneficiários.

Para assinar a portaria nº 04/2018, de 1º de fevereiro deste ano, a promotora de Justiça Gladys Gomes Martins de Sousa considerou as notícias veiculadas na mídia de interrupções e suspensões dos atendimentos por médicos, clínicas e hospitais aos segurados do Plano de Saúde IPMT Saúde/PLANTE que é gerido pelo Instituto de Previdência do Município de Teresina.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ministério Público do Estado do PiauíMinistério Público do Estado do Piauí

A promotora determinou expedição de ofício ao IPMT solicitando esclarecimentos que julgar necessários acerca do objeto investigado, bem como requisitando a lista de profissionais, hospitais e clínicas que suspenderam o atendimento aos segurados do IPMT Saúde/PLANTE nos últimos dois anos, apontando as causas da suspensão e as medidas tomadas pela administradora do plano de saúde.

O Sindicato dos Médicos do Piauí (SIMEPI) e o Sindicato dos Hospitais, Clínicas, Casas de Saúde e Laboratórios do Estado do Piauí (SINDHOSPI) também serão notificados para apresentarem os subsídios necessários à elucidação dos fatos, especialmente no que diz respeito às reivindicações dos sindicalizados que justifiquem as suspensões dos atendimentos.

Paralisação

No final do mês de janeiro deste ano, os médicos que atendem pacientes pelo IPMT suspenderam por cinco dias o atendimento em toda a Capital por conta do não cumprimento de acordos por parte do instituto.

Outro lado

Procurada, na tarde desta quinta-feira (15), a assessoria de comunicação do IPMT ficou de retornar com um posicionamento, o que não aconteceu até a publicação da matéria. O GP1 continua aberto para esclarecimentos.